Cotidiano

Reabertos há 1 mês, restaurantes ainda sofrem com baixo faturamento em Campo Grande

Mesmo com a reabertura do comércio no Centro de Campo Grande há 1 mês, o movimento dos restaurantes continua baixo, quando comparado aos meses anteriores a quarentena. O Jornal Midiamax conversou com os trabalhadores do ramo alimentício sobre a perspectiva de futuro no setor. Yan Felipe  de 29 anos, é proprietário de um restaurante na […]

Ranziel Oliveira Publicado em 07/05/2020, às 06h00 - Atualizado às 11h21

None
Reabertos há 1 mês, restaurantes ainda sofrem com baixo faturamento em Campo Grande
Yan Felipe higienizando máquina de cartão. (Ranziel Oliveira/ Midimax)

Mesmo com a reabertura do comércio no Centro de Campo Grande há 1 mês, o movimento dos restaurantes continua baixo, quando comparado aos meses anteriores a quarentena. O Jornal Midiamax conversou com os trabalhadores do ramo alimentício sobre a perspectiva de futuro no setor.

Yan Felipe  de 29 anos, é proprietário de um restaurante na Avenida Afonso Pena. Ele conta que desde o primeiro dia da reabertura até esta quarta-feira (6), o faturamento do estabelecimento subiu cerca de 30%, mas nada comparado ao que era antes.

A média de quantidade de pratos caiu de 350 para 150 ao dia.  Fato que ele atribui a mudança de comportamento dos clientes, que e em sua maioria são trabalhadores do Centro. “As pessoas estão segurando dinheiro, porque não sabem o que vai acontecer amanhã”.

Reabertos há 1 mês, restaurantes ainda sofrem com baixo faturamento em Campo Grande
Comida vegana sendo preparada (Ranziel Oliveira /midimax)

Dona de um restaurante vegano na Maracaju Pei Hun Ong, afirma que as vendas aumentaram cerca de 10%.  Segundo ela, as vendas caíram de 30 pratos  para no máximo 15 ao dia.

“Com a pandemia vai ficar desse jeito por um tempo, as pessoas perderam emprego, e mesmo quem está empregado não quer gastar, vai levar meses para voltar a situação anterior”.  A solução para a queda no movimento foi inovar, aderindo ao delivery, e ao expediente noturno.

Estagnação nos lucros é a realidade de outro restaurante na barão do Rio branco. É o que conta a auxiliar administrativa Natally Vasques, de 33 anos. De acordo com ela, a média de lucro chegava até R$ 3,5 mil por dia. Desde a reabertura, o lucro se manteve entre R$ 1,1 mil a R$ 1,4 mil, no máximo.

Reabertos há 1 mês, restaurantes ainda sofrem com baixo faturamento em Campo Grande
Tampa de marmita com frase motivacional (Ranziel Oliveira/Midiamax)

Para tentar atrair mais clientes, a empresa tenta inovar, colocando mensagens de motivação na tampa de cada marmita, com objetivo de mostrar ao cliente a sua importância para a empresa. Hoje o delivery obteve um aumento de 30%.

Jornal Midiamax