Quatro dias após incêndio histórico, Bombeiros continuam rescaldo no Atacadão

Delegado que acompanha o caso diz que recebe informações sobre a perícia ainda nesta quinta-feira

Quatro dias depois do incêndio que destruiu o da avenida Duque de Caxias, a equipe do continua o trabalho de rescaldo no supermercado em Campo Grande. O trabalho é minucioso para a retirada de materiais que restaram no local. O delegado que acompanha o caso explicou que recebe informações sobre a perícia nesta quinta-feira (17). 

Quatro dias após incêndio histórico, Bombeiros continuam rescaldo no Atacadão
Tenente-coronel explica que os materiais são retirados pelos fundos do atacadista, a frente foi preservada. (Foto: Marcos Ermínio)

O tenente-coronel Fernando Carminati explica que os Bombeiros continuam o trabalho de rescaldo no local do incêndio. São toneladas de produtos que ficaram no local e é preciso fazer um trabalho minucioso. Os materiais são retirados pelos fundos do atacadista, já que a frente foi preservada para a perícia, que é feita aos poucos. 

O delegado Bruno Urban, que acompanha o caso do incêndio do , explica que as informações sobre a perícia chegam nesta quinta-feira (17). Ele ainda diz que deve receber nesta quinta (17) as imagens das câmeras que estavam instaladas no atacadista e os aparelhos do circuito de segurança.

Maior incêndio em estrutura da história de MS

O maior incêndio em estrutura da história de consumiu  900 mil litros de água e 2 mil litros de LGE (Líquido Gerador de Espuma) – espuma que cria uma barreira e evita explosões, por exemplo. 

As chamas altas podiam ser vistas à distância, atingindo o teto do local. Por conta do risco de desabamento e fumaça, vizinhos foram realocados para outras regiões. Nenhum funcionário ou cliente foi ferido durante o incêndio e as causas ainda estão sendo investigadas.

Quatro dias após incêndio histórico, Bombeiros continuam rescaldo no Atacadão
Mais notícias