Pressionado pelo MPT, Consórcio Guaicurus volta atrás e mantém plano de saúde

Compensação foi solicitada pelo MPT após audiência de mediação

Após pressão do (Ministério Público do Trabalho de ), o voltou atrás e manteve o plano de saúde e passe gratuito até novembro aos 157 funcionários demitidos em massa durante a pandemia. A compensação foi solicitada pelo MPT em audiência de mediação realizada na última sexta-feira (7).

A informação é do diretor financeiro do STTCU (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano), William Alves. “Eles ofereceram assistência médica aos titulares [os dependentes ficaram de fora] até novembro e ofereceram também o passe de ônibus para os funcionários. Eles podem andar até 4 vezes por dia nos ônibus até novembro também”.

As compensações são para garantir que os 157 funcionários demitidos recebam algum benefício da empresa, que lucra anualmente R$ 12 milhões.

Além disso, o sindicato já está com as rescisões de contratos de trabalho desses trabalhadores demitidos. Serão analisados se houve o pagamento correto das verbas rescisórias e se existiu algum tipo de discriminação.

Conforme o STTCU, desde o início da pandemia foram mais de 300 funcionários demitidos. Porém, os outros 150 foram demitidos gradativamente e, por isso, não caracteriza demissão em massa e ficaram de fora do acordo com o MPT.

Pressionado pelo MPT, Consórcio Guaicurus volta atrás e mantém plano de saúde
Mais notícias