Prefeitura avalia condições financeiras para reajuste salarial dos servidores

Será um número que a realidade permitir, disse secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto

A data base do reajuste salarial da maioria dos servidores municipais de Campo Grande é em maio, mas a equipe da Prefeitura já tem se reunido e pensado em como e quanto será o acréscimo no salário. Durante a prestação de contas do Executivo realizado nesta quarta-feira (12), foi revelado que ainda não há um percentual definido. 

Conforme o secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto, o reajuste é um desafio. “O prefeito já se reuniu com algumas categorias e a prefeitura está atenta a esta questão”.

Pedrossian ressaltou que 2020 é um ano de desafios, devido a arrecadação menor de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). “Estamos avaliando uma tentativa de mitigar essa perda. Enquanto não temos clareza da nossa estratégia, é prematuro falar em algum número”.

Ainda conforme o secretário, o reajuste “será um número que a realidade permitir”. A prefeitura parte do pressuposto de responsabilidade fiscal. “Faremos algumas concessões, mas com o pé no chão. É um ano que não se sabe se vai ter Refis, porque as duas últimas edições a prefeitura teve uma renda boa, de R$ 76 milhões, então a prefeitura não vai poder contar com esse dinheiro”.

IPVA

Ainda segundo Pedrossian Neto, Campo Grande espera receber até o próximo sábado (15), R$ 56 milhões líquidos do IPVA (Imposto sobre Circulação de Veículos Automotores), que o governo repassa anualmente. O número é 6% maior do que se comparado com 2019.

Prefeitura avalia condições financeiras para reajuste salarial dos servidores
Mais notícias