Após quedas, prefeitura adapta projeto para reforçar contenção do rio Anhanduí

Os dois lados da parede de contenção cederam em menos de um mês

A Prefeitura de Campo Grande trabalha para fazer uma adequação ao projeto da Ernesto Geisel, logo após as paredes de contenção do rio Anhanduí cederam por duas vezes em menos de um mês. A equipe da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestruturas e Serviços) trabalha para reergue as paredes do canal de contenção.

À reportagem, a prefeitura explicou que adequação no projeto seria para que a empreiteira responsável pela obra reforce a estrutura das paredes de contenção.

No dia 20 de fevereiro, a primeira encosta cedeu com a força do temporal que atingiu a cidade de Campo Grande. Parte da calçada também havia cedido após a chuva, mas poucas horas depois, operários iniciaram os reparos.

Na última terça-feira (10), o outro lado da encosta desabou, mesmo com a escassez de chuvas entre os períodos. O incidente fez com que trechos da avenida Ernesto Geisel ficassem interditados.

“São placas com mais de 50 toneladas. Vale salientar que essa parte não é da obra de agora, ‘é de um canal de alguns anos atrás’. Não faz parte do projeto de revitalização”, disse na oportunidade Rudi Fioresi, da Sisep.

Após quedas, prefeitura adapta projeto para reforçar contenção do rio Anhanduí
Mais notícias