Prefeito pede que população denuncie usuários em pé nos ônibus da Capital

Em live nas redes sociais, Marquinhos Trad também alertou para mudança nos horários do transporte coletivo entre sexta-feira e domingo

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) confirmou nesta quinta-feira (9), durante live transmitida em redes sociais, o endurecimento de medidas para garantir que os ônibus do transporte coletivo circulem apenas com passageiros sentados. Após reunião com representantes dos usuários e do Consórcio Guaicurus –que reúne as concessionárias do setor–, ele reiterou a autorização para que motoristas não sigam viagem caso haja passageiros em pé, e pediu à população que fotografe, filme e divulgue as infrações.

Na ocasião, ele também antecipou que os ônibus circularão com horário reduzido nesta sexta-feira (10) e que, sábado (11) e domingo (12) o transporte coletivo vai parar às 18h.

Sobre a paralisação dos ônibus em caso de haver usuários em pé, Marquinhos disse que “boa parte dos seres humanos não estava respeitando e os próprios passageiros começaram a filmar e mandar para nós. Isso mesmo: sejam fiscais da nossa cidade, preservando a saúde até daquele que está violando a regra. Mande para a gente, para a imprensa, vamos divulgar porque em cada ato deste nós vamos tomar uma medida diferenciada”.

Marquinhos garantiu que não pretende parar o transporte coletivo “por causa dos infratores, dos desobedientes”, mas sim que pretende fazer valer o direito da maioria, “que está respeitando as regras”. O prefeito lembrou que, na quarta-feira (8), reuniu-se com representantes do Fórum dos Usuários do Transporte Coletivo, do STTCUCG (Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano da Capital) e do Consórcio Guaicurus, quando determinou-se a autorização para os condutores paralisarem as viagens em caso de passageiros em pé.

“O motorista vai parar o ônibus, vai desligar o veículo e aguardar até que essa pessoa volte ao ponto”, afirmou o prefeito, reiterando a possibilidade de uso da Guarda Civil Municipal nesses casos, mas reforçando crer que “o passageiro não vai usar de força física, até porque ele está errado”. “Depois dessa medida, caso não seja cumprido ou as pessoas se revoltarem contra o motorista, teremos de tomar medidas cada vez mais duras e severas, até que as pessoas obedeçam de uma vez por todas por uma questão de saúde pública”, advertiu.

Ele ainda lembrou que outras questões inerentes ao serviço, como o reforço nas linhas e a assepsia dos ônibus antes e após viagens, são realizadas já forma destaque na imprensa nacional.

Alterações

Marquinhos lembrou que amanhã (10), Sexta-Feira Santa, o transporte coletivo vai operar com linhas reduzidas. Sábado (11) e no Domingo de Páscoa (12), “as linhas vão operar normalmente, com mudança no horário de encerramento, que será às 18h e não mais às 21h30, como tem ocorrido”.

Prefeito pede que população denuncie usuários em pé nos ônibus da Capital
Mais notícias