Prefeito confirma carnaval e contraria MPMS sobre saúde financeira da cidade

Evento está marcado para o dia 21 e 25 de fevereiro com entrada gratuita

O prefeito de Porto Murtinho, Derlei Delevatti (PSDB) refutou sobre as alegações do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para que fosse cancelada a festa de carnaval na cidade, que fica a 473 quilômetros de Campo Grande. Para o chefe do paço municipal, haverá o evento “Orla Folia – O Carnaval do Pantanal 2020” que já estava previamente marcado.

“Nós vamos fazer uma reunião na segunda-feira, mas a princípio nós vamos realizar o carnaval sim. As alegações que estão sendo feitas quanto a segurança, nós vamos ter um esquema de segurança muito grande e os bombeiros vão aprovar o local, porque acho que não vai ter problema e tem um projeto encaminhado para os bombeiros”, disse.

Delevatti explicou em contato com a reportagem do Jornal Midiamax que a reunião servirá para apresentar as justificativas para a realização do evento junto ao MPMS e sua assessoria jurídica. A entrada para o carnaval é gratuita.

Uma das preocupações que o prefeito afirma ter é em relação aos menores de idade, mas que tudo está sendo tratado da melhor maneira e que no período noturno, eles não terão acesso as festas. Referente ao dique no Rio Paraguai, que o órgão estadual cita que poderia influenciar no cancelamento do evento, Derlei explica que o dique não estará sendo usado.

“A questão que tinha a situação de emergência do dique não tem nada relacionado ao local onde será realizado o evento. O local é completamente diferente, então não tem nada uma coisa com a outra” salienta. “Então perante tudo isso, a gente não vê a questão de algum problema maior a fazer o evento”, acrescentou.

Situação financeira

O prefeito estranhou a maneira no qual o MPMS encarou a realidade financeira da cidade, que para Derlei está dentro do planejado. Para o mandatário, a situação financeira é refletida no pagamento dos funcionários, que estaria dentro do prazo previsto. À reportagem, ele explicou que o 13° e o salário de novembro foram pagos no último mês do ano passado.

“Agora devemos fazer o pagamento do pessoal efetivo no dia 20 até para o pessoal aproveitar melhor o carnaval. Eu até não entendo dessa forma que nós estamos com alguma em uma situação financeira maior. Se nós não estivéssemos pagando salários, com algum problema no fornecedor eu até entenderia, mas hoje eu não estou entendendo dessa forma”.

Derlei Delevatti ainda comentou sobre a oportunidade de fomentar a economia da cidade com as festividades carnavalescas. Na visão administrativa, o carnaval será um atrativo para as pessoas de outras localidades e que deve proporcionar um movimento econômico aos comerciantes e pousadas da cidade. “É uma questão de circulação de dinheiro”.

Mais notícias