Pré-candidato, sindicalista cita servidora que não teve covid-19 para acusar prefeitura de esconder casos

Em nota, Sesau esclareceu que funcionária realizou exame e testou negativo para a doença

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande divulgou nota de esclarecimento negando que servidora de uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) esteja com . A nota desmente vídeo que circula nas redes sociais (Veja no fim da reportagem) em que o pré-candidato a vereador pelo PDT, o sindicalista Marcos Tabosa, acusa a prefeitura de Campo Grande de esconder casos ao citar servidora da UBS.

Tabosa confirmou ao Jornal Midiamax que se licenciou do Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande (Sisem) para concorrer às eleições. No vídeo, de conotação política, o pré-candidato menciona a servidora para fazer acusações ao prefeito. 

Conforme a Sesau, a funcionária é portadora de doença crônica respiratória e teve complicações no último sábado (30). Ela foi atendida no Polo de Atendimento, no Parque Ayrton Senna, onde foi coletado material para a realização do exame para coronavírus, que testou negativo.

Ainda conforme a nota, a servidora procurou um hospital particular, onde foi internada, ainda no sábado. Por apresentar quadro com muita dificuldade respiratória, ela foi transferida para um leito de CTI no domingo.

Tabosa diz ter prints de WhatsApp que confirmam que o primeiro teste feito pela servidora no SUS deu negativo, mas que a ela realizou um segundo exame no hospital particular em que está internada e testou positivo para . Ainda conforme o sindicalista, ela estaria na UTI sem possibilidade de visita e a família dela estaria em quarentena.

*Matéria editada às 17h46min para acréscimo de informações

Pré-candidato, sindicalista cita servidora que não teve covid-19 para acusar prefeitura de esconder casos
Mais notícias