Mau cheiro não dá trégua e Atacadão será alvo de fiscalização após incêndio

Atingido por incêndio há duas semanas, prédio de atacadista foi destruído

Equipes da (Secretaria Municipal de Saúde) e Vigilância Ambiental irão vistoriar ao , da , em Campo Grande, nesta sexta-feira (1°), após receber reclamações do mau cheiro e infestação de insetos e ratos, por conta dos alimentos queimados no incêndio.

De acordo com a , diante da gravidade, será lavrado um boletim de vistoria e orientação, pedindo providências para limpeza do imóvel, retirar a matéria orgânica e resíduos. Um prazo será acordado entre o responsável do atacadista, mas não deve ultrapassar 15 dias.

“Caso descumpridos os prazos e se configurar na ausência de boa vontade em atender nossas solicitações, o proprietário/responsável  é autuado por descumprimento de medidas sanitárias, e passa a responder a processo administrativo sanitário podendo ser julgado a pagar multa que varia de R$100,00 a 15 mil, dependendo da gravidade da infração sanitária, de acordo com o Código Sanitário municipal”, informou.

O atacadista foi atingido pelo incêndio, há duas semanas, porém, além dos estragos, alimentos retirados dos destroços como carnes embutidas, tem causado exalado mau cheiro enquanto as máquinas trabalham.

A reportagem do Jornal Midiamax esteve no local e relatou histórias de moradores das proximidades que reclamavam das dificuldades deixadas pelo acidente. Por conta incômodo, o atacadista disponibilizou hospedagens dos vizinhos em hotéis da cidade.

“Todos os resíduos estão sendo retirados, além disso, aplicamos um neutralizador de odores e instalamos armadilhas para captura de moscas. O ressalta seu compromisso com o bem-estar de todos”, informou a rede em nota.

Material atualizado com acréscimo de informações às 17h35.

Mau cheiro não dá trégua e Atacadão será alvo de fiscalização após incêndio
Mais notícias