Policiais Civis protestam na ALMS contra mudanças na Previdência

O principal pedido é na adequação da aposentadoria e pela aprovação do projeto para reposição das perdas inflacionárias

Na manhã desta terça-feira (4) um grupo de policiais civis se reuniram em frente a ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) em manifestação por reestruturação na aposentadoria policial e pela aprovação do projeto para reposição das perdas inflacionárias.

Todos os sindicatos de policiais civis do Brasil, orientados pela Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis), estão fazendo ações efetivas nesta terça-feira (4). O presidente do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), Giancarlo Corrêa Miranda, esteve presente no ato e ressaltou que a Polícia Civil precisa ser reconhecida pelo trabalho e risco que correm diuturnamente.

“Desde de 2019 estamos lutando pela aprovação do texto da Reforma da Previdência de forma a igualar os direitos dos policiais civis aos dos policiais militares, constitucionalizando-os, uma vez que ambas instituições fazem parte das forças de segurança, correm os mesmos riscos, pois o crime não escolhe farda nem distintivo”, disse Giancarlo.

Presidente do Sinpol-MS ressalta a importância de igualar os direitos dos policiais civil aos dos policiais militares (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax)

A principal reforma pedida pela categoria é a PEC 133. “Precisamos lutar para constitucionalizar todos os nossos direitos, como integralidade, paridade, pensão integral para qualquer situação, além da aposentadoria por invalidez integral, e alíquota reduzida, com a justa aposentadoria Policial e uma pensão digna a nossos familiares”, declarou o presidente do Sinpol-MS.

Ainda segundo informações da Sinpol-MS, os policiais civis querem que as emendas sejam acolhidas pelos deputados, pois, segundos eles, têm riscos de tratamentos diferenciados da aposentadoria. “Foi aprovado uma lei de proteção social, mas engloba apenas a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros que tem atividade de alto risco, mas a Policia civil também tem”, frisou.

O Sinpap/MS (Sindicato dos Papiloscopistas e Peritos Oficiais de Mato Grosso do Sul), também esteve presente na manifestação. O presidente João Cesar de Carvalho Moreira diz que a categoria busca um tratamento igualitário. “Queremos sensibilizar os parlamentares sobre a importância da aposentadoria policial, com respeito à paridade e integralidade, mesmo em Estados onde a reforma da Previdência já ocorreu, contrariando os interesses da classe”.

Mais notícias