Polícia ambiental resgatou 345 aves de traficantes no ano passado em MS

Por crimes contra fauna, 76 pessoas foram autuadas e valor chegou a R$ 1,25 milhão

A PMA (Polícia Militar Ambiental) resgatou no ano passado cerca de 345 aves das mãos de criminosos em Mato Grosso do Sul, que planejavam realizar o tráfico de animais silvestres. Conforme dados divulgados pela polícia, o número representou uma alta de 141,25% em relação ao ano de 2018 quando foram apreendidas 143 aves.

Deste número, os papagaios foram as aves mais resgatadas totalizando 180, seguido dos canários que foram 165 e cinco periquitos. Por conta da possibilidade de tráfico de aves, 7 pessoas foram autuadas e as multas chegaram a R$ 799 mil.

Papagaios foram os mais resgatados. (Foto: Divulgação, PMA)

Já os atos contra a fauna também entraram na lista da PMA, que autuou 76 pessoas que geraram um valor de R$ 1,25 milhão pelos crimes considerados de maus-tratos, tráfico, caça e criação ilegal.

Pelo menos 16 pessoas foram autuadas por maus-tratos e os valores das multas aplicadas foram de R$ 254 mil. Os números apresentaram quedas em relação ao ano de 2018, quando 21 pessoas foram autuadas e o valor de multas foi de R$ 485 mil.

A criação ilegal de animais silvestres em cativeiro registrou aumento de pessoas autuadas, subindo de 11 em 2018 para 14 no ano passado. As multas geraram uma receita de R$ 56 mil, enquanto no ano anterior o valor foi de R$ 29 mil. A PMA apreendeu 50 animais em 2019.

Animais capturados em área urbana

Foram pouco mais de 1,7 mil animais silvestres capturados na área urbana ao longo do ano passado. Os principais capturados foram as aves, entretanto a PMA já registrou casos inusitados, como gambá dentro da máquina de lavar, serpentes dentro de motores e até tamanduá-bandeira dentro de churrasqueira.

Mais notícias