Para fugir dos juros, campo-grandenses furam a quarentena e lotam lojas de departamento 

Muitas lojas mantiveram a cobrança dos juros, gerando filas com a volta do comércio em Campo Grande

Reaberto parcialmente nesta segunda-feira (06), o centro comercial de Campo Grande contou com muitas pessoas nas ruas. Lojas de departamento famosas formaram grandes filas de clientes, que saíram da quarentena para pagar boletos do crediário.

Muitas lojas de departamento incentivam os clientes com crediário a fazerem os pagamentos na própria casa por meio de aplicativos. Entretanto poucas delas adotaram condições especiais para a cobrança de juros, levando muitos cidadãos a saírem de casa para evitar o aumento das faturas.

A loja de departamento C&A afirmou que “os pagamentos continuam normais por outros canais, por isso os atrasos irão gerar juros”. No canal de atendimento da loja ficam recomendadas algumas alternativas para pagamento online das faturas.

Já a Richuelo, informa por meio de canal de atendimento aos clientes que “a cobrança de juros ocorre normalmente após o vencimento da fatura”. Enquanto isso, a loja Renner adaptou os prazos de pagamento dos clientes, a fim de conscientizar que não causem aglomerações.

“Se você perceber que não vai conseguir pagar seus carnês ou faturas até a data de vencimento, poderá contar com uma condição especial: para os vencimentos entre 20 de março e 24 de abril oferecemos uma prorrogação de 7 dias após o vencimento, para efetuar o pagamento sem juros de atraso. Clientes com vencimento do dia 25 a 29 de abril, terão a isenção de juros pagando até o dia 30 de abril”, informa a empresa em suas redes sociais.

Precisa pagar boletos? Siga as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde, como por exemplo escolher horários com menos fluxos para evitar aglomerações. Enquanto estiver na fila, mantenha distância de pelo menos 1,5 metro da pessoa a frente e peça a mesma distância para a pessoa de trás.

Para fugir dos juros, campo-grandenses furam a quarentena e lotam lojas de departamento 
Mais notícias