Operação Mosquito Zero encerra após vistoriar mais de 41 mil imóveis em Campo Grande

Operação durou dois meses e meio no combate ao Aedes Aegypti

A Operação Mosquito Zero vistoriou mais de 41 mil imóveis em Campo Grande em dois meses e meio. A operação foi realizada nas sete regiões da cidade para combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. 

Para a finalização da operação, a Prefeitura contou com o apoio do Corpo de Bombeiros, que auxiliou nas entradas às residências no bairro Amambaí. Durante as visitas nos imóveis, agentes e militares orientavam a respeito do combate ao mosquito Aedes aegypti e ao novo coronavírus.

“Sabemos o quanto essa situação que vivemos é complicada, porque estamos no meio de uma epidemia de dengue e agora temos um novo vírus circulando pela cidade, que ainda não sabemos direito o quão perigoso ele é, mas não podemos deixar de fazer o nosso serviço, é nossa função proteger a população dessas doenças, e quero agradecer e parabenizar a vocês por estarem fazendo isso de forma tão competente”, comentou a superintendente de vigilância em saúde, Veruska Lahdo, com os agentes de combate à endemias. 

A ação de finalização da campanha começou nesta manhã e continuará no domingo (5), contando com 31 agentes da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) e mais dez agentes de imóveis especiais, que têm autorização para entrada em locais fechados. Com o apoio do Corpo de Bombeiros, também foi possível a identificação de focos em locais de difícil acesso através do uso de um drone. 

“Estamos com as ações focadas no controle do coronavírus em nosso município, mas também temos que nos preocupar com o aumento no número de casos de dengue. É uma doença que está presente no nosso cotidiano e merece toda a nossa atenção. Infelizmente o trabalho precisou ser reduzido até para evitar a exposição e garantir a segurança dos nossos servidores, por isso, mais do que nunca, o apoio da população é fundamental. Todos precisam contribuir”, destacou o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho. 

Ao todo, durante toda a operação, foram 41.187 imóveis foram inspecionados, 35.640 mil depósitos e 1.630 focos do mosquito Aedes aegypti eliminados, além do equivalente a 600 caminhões de materiais inservíveis recolhidos durante as seis etapas da ação realizadas nas regiões: Imbirussu, Anhanduizinho, Bandeira, Lagoa, Prosa e Segredo. Cerca de 250 servidores de vários órgãos municipais estiveram envolvidos na ação. 

Mais de 30 agentes da CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais) da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) estarão mobilizados neste sábado (4) durante o Dia D de combate ao mosquito Aedes Aegypti. A ação que marcará o encerramento da campanha “Mosquito Zero – É matar ou morrer” contará com o apoio da SES (Secretaria Estadual de Saúde) e do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, que irá auxiliar na identificação de focos em locais de difícil acesso com o uso de um drone. 

Até o dia 3 de abril foram notificados 10.867 casos de dengue, 80 de zika e 49 de chikungunya em Campo Grande. Quatro pessoas morreram por dengue neste ano. 

Operação Mosquito Zero encerra após vistoriar mais de 41 mil imóveis em Campo Grande
Mais notícias