Novo prefeito irá herdar Plano de Arborização de Dourados feito pela Fapec 

Proposta já está pronta e foi elaborada a partir de estudos solicitados pelo Instituto de Meio Ambiente, a pedido de Délia Razuk (sem partido)

Com quedas constantes de árvores, acentuadas principalmente durante a tempestade que atingiu Dourados na manhã desta segunda-feira (26), a prefeitura deverá apresentar um relatório final do Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU) que estava sendo desenvolvido desde o ano passado.

Entretanto, a proposta da atual administração ficará para a análise do próximo prefeito e pode servir, caso haja interesse do eleito, de baliza para disciplinar todo o processo de arborização da segunda maior cidade do Estado.

O Plano Diretor foi desenvolvido sob a responsabilidade da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao ensino e à Cultura (FAPEC) instituição ligada a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), a partir de estudos solicitados pelo IMAM (Instituto de Meio Ambiente), por recomendação da prefeita Délia Razuk (sem partido).

“A ausência de informações científicas e técnicas sobre como proceder com a arborização em Dourados vem trazendo problemas para a população e para a administração” lembra o arquiteto Fabiano Costa, que encaminhou acompanhou todas as fases de elaboração do Plano, já que era o diretor presidente do IMAM.

O Plano de Arborização Urbana vai ajudar a alinhar atividades que amenizem situações de plantio de espécies inadequadas, de poda irregular e de depredação de espécies nativas, que refletirão em uma arborização mais viçosa, mais densa, e na diminuição de transtorno com quedas de árvores, principalmente.

O diagnóstico atual revela que a arborização viária na área urbana de Dourados, estimada com base na vetorização unitária dos indivíduos existentes na área de abrangência do Plano Diretor de Arborização Urbana, é de 94 mil árvores, resultando em 55 árvores por quilômetro de via. A altura média das árvores nestas vias é de 5,28 metros. Nas vias públicas de Dourados foram identificadas 150 espécies de árvores.

Os dados levantados indicam uma boa situação da arborização urbana de Dourados, com grande parte das árvores caracterizadas como de qualidade satisfatória. Todavia, algumas ações de manejo são necessárias. Entre elas, as podas de condução e as de levantamento de copa são as recomendações mais indicadas, seguidas da remoção com replantio.

“O Plano Diretor de Arborização também servirá para que os candidatos a prefeito conheçam a real situação das árvores da zona urbana de Dourados e para que o eleito possa implantá-lo nem que haja negação do conhecimento do trabalho elaborado ao longo de dois anos por profissionais experientes com a participação de todos os segmentos da sociedade”, concluiu Costa.

Novo prefeito irá herdar Plano de Arborização de Dourados feito pela Fapec 
Mais notícias