Neste mês, número de queimadas em vegetação já é maior que os últimos três anos juntos

Número de registros nos 13 primeiros dias de outubro é muito superior aos outros anos

18Campo Grande, por vezes, amanhece encoberta pela fumaça das queimadas em vegetação e o Corpo de Bombeiros tem registrado aumento no número de ocorrências deste tipo atendidas. Somente nos primeiros 13 dias de outubro, Campo Grande registrou número superior aos últimos anos.

Segundo dados da corporação, se somados, os registros deste período em 2017, 2018 e 2019 não alcançam ao registrado em 2020. Neste ano na Capital, em 13 dias, os bombeiros atenderam 236 ocorrências de incêndios em vegetação.

Já em 2017 foram atendidas 36 ocorrências, em 2018 foram 8 e, por fim, em 2019 foram 101. O número de registros vem aumentando ano após ano.

No interior de a situação não é diferente. Em 2017 foram atendidas 67 ocorrências e em 2018, 12. Porém, 2019 apresentou um aumento subindo para 129 e, posteriormente, 300 em 2020. Todos os dados são relativos aos primeiros 13 dias de outubro.

em chamas

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), divulgou a atualização dos dados de queimada no . De janeiro até domingo (11), cerca de 27% de área do bioma pantaneiro já foi consumida pelas chamas no período.

De acordo com o analista ambiental do Ibama, Alexandre Pereira, levantamento é feito pelo monitoramento do Lasa (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais) do Departamento de da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

“A área total queimada é de 4,1 milhões de hectares, sendo que no  de Mato Grosso corresponde há 2,1 milhões e do MS é de 1,9 milhão, só no ano de 2020”, relatou.

Neste mês, número de queimadas em vegetação já é maior que os últimos três anos juntos
Mais notícias