Nem a reabertura de bancos tira clientes de casa e poucos lojistas ‘arriscam’ em Campo Grande

Reabertura do comércio será feita de forma parcial

Nem mesmo a reabertura dos bancos em Campo Grande, nesta terça-feira (31) conseguiu tirar de casa clientes para a movimentação do comércio, que ainda tem muitas lojas de portas fechadas e os poucos lojistas que se arriscaram tem esperança de que o movimento venha a crescer, na região central, com a abertura de forma gradual do comércio.

O dono de uma loja de chocolates, na região central, contou ao Jornal Midiamax que o movimento da loja caiu em torno de 80% em relação a dias normais, e que terá de vender em uma semana, o que venderia em um mês, já que a data em que mais comercializa chocolates a Páscoa, acabou prejudicada.

Ele foi enfático ao dizer que está tomando todas as medidas necessárias de higiene no combate ao coronavírus, como álcool em gel no balcão e o controle de entrada de clientes na loja. Já o proprietário de uma lanchonete, Ibrahim Pelawi, contou que espera que gradativamente a movimentação no centro melhore.

Por enquanto, ele está atendendo mais delivery e apenas dois clientes por vez podem entrar na lanchonete. Sobre a queda na movimentação, ele contou que teve uma redução de 95% de clientes.

A dona de uma loja de perfumes de ambientes, Tatiana Faustino de 46 anos, contou que fica dividida entre abrir o seu estabelecimento, já que se continuar com as portas fechadas irá a falência, mas também acha necessária medidas tomadas no combate ao coronavírus. Ela passou a atender pelo WhatsApp para não perder as vendas.

Nem a reabertura de bancos tira clientes de casa e poucos lojistas 'arriscam’ em Campo Grande
Mais notícias