MS é o 13º Estado a adotar critérios clínicos e raio-x para confirmar coronavírus

Levantamento aponta que mudança pode contabilizar mais de 1,9 mil casos antigos

Mato Grosso do Sul passa por uma mudança na metodologia para identificar casos de coronavírus. MS é o 13º estado a adotar os novos critérios no país. Além dos exames RT-PCR e testes rápidos, o Estado passa a incluir critérios clínicos, epidemiológicos e radiológicos na base de dados, conforme orientação do

De acordo com levantamento feito pelo Jornal Midiamax, o Distrito Federal e mais 12 estados utilizam outros critérios além dos exames laboratoriais para identificar casos de coronavírus: São Paulo, , Paraná, , , Mato Grosso, Amapá, Amazonas, , Maranhão, Minas Gerais e Paraíba.

Na prática, o que mudou com a metodologia recomendada pelo é que os sintomas e exames, como raio-x, podem ser utilizados para confirmar um caso de coronavírus. Antes, o caso só era confirmado com um teste específico, como o RT-PCR e o teste rápido. 

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) explica que a metodologia segue determinações do quanto a definição de casos (sintomas), ampliando critérios de confirmações. Com isso, os municípios foram orientados sobre as novas classificações: avaliação médica apresentando sintomas compatíveis (critério clínico); sintomas e histórico de contato próximo com caso confirmado (critério clínico-epidemiológico); ou sintomas e exames de imagem indicativos de Covid-19 (critério clínico-imagem).

Com a mudança, o número de casos confirmados de coronavírus deve aumentar, assim como aconteceu em outros estados que adotaram os novos critérios. Com a mudança, o estado pode somar casos antigos de mortes causadas pelo coronavírus nos boletins epidemiológicos recentes.

Um exemplo é o estado de São Paulo que, com a mudança nos critérios, acrescentou mais mortes. No dia 13 de agosto, o estado registrou 234 novas mortes por coronavírus em 24 horas. Além dessas mortes, foram incluídos mais 221 mortes que ocorreram no decorrer da pandemia e que, por conta de novas diretrizes do , foram incluídos no balanço.

O informa que tem realizado ações para ampliar o diagnóstico da Covid-19, com protocolos para exames clínicos, radiológicos, além da ampliação da capacidade laboratorial. “Com isso, mais pessoas são diagnosticadas rapidamente e atendidas, o que favorece a adoção de medidas de isolamento de casos e o monitoramento de contatos, possibilitando a redução de novas infecções, casos graves e óbitos”, disse por nota.

Com nova metodologia, MS incluiu 5 mil novos casos

Na manhã de quarta-feira (9), a SES (Secretaria de Estado de Saúde) anunciou a mudança de critérios e fez a divulgação de balanço que apontava cerca de 5 mil novos casos de Covid-19 atribuídos à nova metodologia. No entanto, os municípios revisam as contas. Mesmo assim, o número pode ser superior a 1,9 mil, segundo a SES. 

Porém, os dados foram retirados do ar e passam agora por depuração dos municípios porque, conforme a pasta, tratam-se de “falha humana” que divulgou um estudo preliminar técnico em relação aos novos critérios adotados pelo Governo Federal. Os responsáveis pela falha foram advertidos, segundo relatou a pasta.

MS é o 13º Estado a adotar critérios clínicos e raio-x para confirmar coronavírus
Mais notícias