MS e Campo Grande começam junho em 3º nos rankings de pior isolamento social do Brasil

Estado e a Capital tiveram índices inferiores a 40%; Goiás e Tocantins seguem com os piores índices

Junho começou em repetindo a rotina do mês de maio em relação ao isolamento social: o Estado foi, na segunda-feira (1º), o terceiro pior do país na adesão à medida de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19), com taxa de adesão de 37,42% da população. Campo Grande também ficou em terceiro entre as capitais –com 36,62% de participação popular.

O isolamento social é defendido por autoridades de Saúde como o meio mais eficaz de conter o alastramento do coronavírus. Isso porque, ao reprimir a circulação de pessoas, também se impede que pessoas infectadas com o vírus o transmita para outras que não se contaminaram, principalmente as que integram os grupos de risco (idosos, pessoas com comorbidades, grávidas e lactantes, por exemplo).

Mais uma vez, só teve menor participação no isolamento social do que Tocantins (35,38%) e Goiás (36,27%), cujas capitais também lideram no índice específico: Palmas (TO) teve taxa de isolamento de 35,46% na segunda-feira e Goiânia (GO), 36,45%. Os números são medidos pela consultoria In Loco, com base na movimentação do sinal de telefones celulares, e entregues às Secretarias Estaduais de Saúde. Clique aqui e confira o relatório.

A média nacional no primeiro dia da semana foi de 40,7%, em queda na comparação com o domingo (31) –por conta da tendência de um grande número de pessoas ficar em casa durante as folgas do trabalho. Autoridades de Saúde consideram que, para ser eficaz, a estratégia deve contar com participação mínima de 60% da população.

Interior

Dentre as cidades do Estado, Laguna Carapã registrou a melhor adesão ao isolamento na segunda-feira, com taxa de 57,8%. A cidade é uma das 30 que, até o momento, não registrou casos de Covid-19.

Na lista dos 10 melhores índices de adesão, aliás, figuram 6 cidades sem registros de infectados pelo coronavírus: além de Laguna, Iguatemi (50,8%), Santa Rita do Pardo (50%), Eldorado (49,5%), Aral Moreira (47,4%) e Dois Irmãos do Buriti (46,5%). Taquarussu e Selvíria (51,4%), Douradina (48,6%) e Bela Vista (47%) completam a lista.

Já a lista dos 10 piores isolamentos sociais do Estado tem também nas primeiras posições duas cidades que não registraram casos confirmados. Anaurilândia teve adesão de apenas 26,4% da população à prática, enquando Pedro Gomes cravou 30%. Rio Negro (31,7%), quinta na lista, também não registrou casos.

Completam a relação Sonora (30,5%), Rio Verde de Mato Grosso (31,1%), Caarapõ (31,7%), Chapadão do Sul (32,2%), Alcinópolis (32,5%), Batayporã (32,6%) e Deodápolis (33,3%). Confira aqui o ranking completo.

MS e Campo Grande começam junho em 3º nos rankings de pior isolamento social do Brasil
Mais notícias