Ministério Público recomenda restrição de funcionários em call centers de Campo Grande

O MPT-MS (Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul) recomenda restrição de atividade presencial em empresas de teleatendimento. Nos últimos dias, o Midiamax noticiou a situação de funcionários de teleatendimento.

Segundo o MPT-MS, devido a denúncias sobre a ausência de proteção de funcionários de uma empresa de teleatendimento contra o novo coronavírus motivaram o MPT-MS a expedir recomendação para que sejam reforçadas, em caráter urgente, medidas sanitárias, caso não seja possível a suspensão das atividades laborais.

A determinação busca resguardar a saúde e a segurança de aproximadamente 3,5 mil pessoas contratadas pela empresa com duas unidades em Campo Grande, capital do estado.

Pelo menos quatro reclamações relativas às condições laborais dos funcionários da empresa de teleatendimento foram encaminhadas ao MPT-MS desde o fim da semana passada. Nos relatos, trabalhadores enfatizam desrespeito a medidas sanitárias mínimas, como falta de álcool em gel, pouca ventilação, descumprimento da distância mínima de dois metros entre cada estação de trabalho e da limitação do número de funcionários por setor.

Mais notícias