Morre em Campo Grande jornalista e leiloeiro Pierre Adri por complicações da diabetes

Câmara Municipal fez um minuto de silêncio em homenagem

O jornalista, advogado, leiloeiro e ex-vereador, Pierre Adri, 73 anos, morreu nesta terça-feira (29), no Hospital da Unimed, onde estava internado devido a complicações no sistema cardiorrespiratório em decorrência da .

O vereador Otávio Trad (PSD), durante sessão na Câmara Municipal, ficou sabendo da perda e apresentou moção de pesar, além de pedir um minuto de silêncio. Ele atuou como vereador em Campo Grande no ano de 1987. Em sinal de respeito, em homenagem e reconhecimento aos serviços prestados a Campo Grande, as bandeiras na sede do Legislativo estarão hasteadas a meio mastro.

Pierre Adri também atuava como leiloeiro e era responsável por diversos certames em Mato Grosso do Sul. No site oficial, consta que ele atuava há 27 anos no ramo, realizando leilões para órgãos Públicos Federal, Estadual, Municipal, Autarquias, Judiciário e Particulares.

Ainda não foram divulgadas informações sobre velório e sepultamento. Ele deixa esposa e 4 filhos.

Morre em Campo Grande jornalista e leiloeiro Pierre Adri por complicações da diabetes
Pierre e sua esposa, Mirna Sandra Adri

Com décadas de experiência no jornalismo estadual, Pierre Adri era o editor da Revista Destaque, a qual fundou em 1982. Dentre suas funções e cargos, constam: presidente da Abrajet – Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo – Secção-MS e integrante do Tribunal de Justiça Desportivo da FFMS.

Possuía várias condecorações, como Destaque descendência Libanesa, Troféu Rui Pimentel, Destaque como radialista, Medalha Esportiva Federação de Futebol de Israel, Troféu Abrajet Santa Catarina, Troféu Abrajet Minas Gerais, Condecoração no Grau de Cavaleiro pelo Ministério da Aeronáutica, em Brasília e outras.

Biografia

Pierre Adri, filho de Wadi Adri e Rosa Adri nasceu em Campo Grande-MS em 1946. Casado com Mirna Sandra Di Giácomo Adri, era pai de Milena, Rejane, Marcelo e Reginaldo. Pierre completou os estudos no colégio Campo Grande e se formou advogado pela Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense, em 1970. Militou na área jurídica até 1984. Depois disso, exerceu constante e ininterruptamente as profissões de jornalista e radialista desde abril de 1971, sendo considerado profissional em razão das suas respectivas atividades serem anterior ao ano de 1987.

Foi o primeiro presidente da ACEMS, seu fundador, eleito em 1978 e reeleito até 1984, por dois mandatos consecutivos. Foi o primeiro presidente do Conselho Regional de Desportos, eleito em 1979, reeleito em 1981 até 1983, na oportunidade comandando a Fundação 11 Federações Desportivas em MS, sendo posteriormente o seu membro efetivo até 1987. Foi presidente da Federação de Basquetball de Mato Grosso do Sul, no período de 1985 a 1987.

Como jornalista tem em sua trajetória profissional mais de 7.000 artigos assinados em vários órgãos de imprensa de MS e MT, além de inúmeras reportagens sem assinatura. Foi Diretor Geral do Jornal da Manhã, de circulação diária, à época, em MT e MS, no período de 1978 a 1984. Comandou ao lado de Rui Pimentel, também falecido, a equipe Bola de Ouro, na Rádio Difusora AM.

Teve passagens pelas emissoras TV Morena, Difusora PRI I 7, Cultura, Educação Rural e Capital AM, participando ativamente nas suas jornadas na fase áurea do futebol de MS e fazendo coberturas esportivas em 55 países, em especial, nas Copas de 1986, 1984, 1998 e 2006; e, em 1982, sendo o jornalista convidado para acompanhar o Operário Futebol Clube à Coreia do Sul, na “Presidente Cup”, naquele país asiático com mais 11 seleções convidadas, que não participaram na Copa de 1982, na Espanha.

Como cronista esportivo, recebeu várias condecorações esportivas, inclusive sendo laureado com o “Troféu Bola de Ouro”, por cinco vezes. Integrou, como comentarista político, do Programa “Tribuna Livre”, de Rui Pimentel.

Foi membro efetivo da Academia Municipalista de Letras do Brasil e da União Brasileira de Escritores UBE-MS, tendo publicado em novembro de 2005 o livro intitulado “O Meu Colégio Dom Bosco”. Também era membro da ACEMS e diretor da Associação Brasileira de Cronistas Esportivos, e da ABRAJET/MS e Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo

No período de atuação profissional exerceu o magistério lecionando no terceiro grau e em cursos superiores, deixando a referida missão no final de 1978, ocasião de seu casamento. Eventualmente era convidado para palestras relativa a sua área profissional.

Morre em Campo Grande jornalista e leiloeiro Pierre Adri por complicações da diabetes
Em foto antiga, Pierre (o terceiro da esquerda para a direita) ao lado de Ricardo e Marcelo. No outro lado, o segundo da direita para a esquerda é Nelson Trad. (Foto: Reprodução, Facebook.
Morre em Campo Grande jornalista e leiloeiro Pierre Adri por complicações da diabetes
Mais notícias