Mesmo com UTI reduzidas no HRMS, Sesau diz que leitos são suficientes para pacientes

Leitos de UTI no HRMS foram reduzidos em 55% para pacientes com coronavírus

Diante do risco de uma segunda onda do coronavírus em , o número de foi reduzida no (Hospital Regional de ), mas a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirma que a quantidade atual de leitos é o bastante para atender os pacientes infectados pelo vírus.

Ao Jornal Midiamax, a secretaria municipal comentou que está acompanhando o número de leitos disponíveis e os números de casos que têm surgido. Além disso, afirma que todos os infectados pelo coronavírus tem atendimento garantido.

“A prefeitura faz o acompanhamento do número de confirmações diárias e a ocupação dos leitos de . Todas as decisões serão tomadas com base na análise dessas informações. Adiantamos que há leitos suficientes para atender pacientes com ”, disse.

MS passou o mês de outubro com número de novos casos diários abaixo de 400. Os boletins dos últimos dias apontam para mais de 500 novas confirmações diárias e uma segunda onda da doença está mais próxima. Assim, o infectologista Julio Croda, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), disse ao Jornal Midiamax que ainda não é possível afirmar se MS já está passando por uma segunda onda, mas “com o tempo vai dar para saber se é mesmo o início de uma segunda onda”.

O (Hospital Regional de ) foi o que mais perdeu. Hoje, a unidade que é referência do  para o tratamento da doença conta com 54 leitos  para , 68 a menos que há um mês. O número representa uma redução de 55%.

 

Mesmo com UTI reduzidas no HRMS, Sesau diz que leitos são suficientes para pacientes
Mais notícias