Mesmo com consumo acima do esperado, Campo Grande não terá racionamento de água

Córrego Lageado, umas das fontes de água da Capital, está praticamente seco

Apesar da preocupação com o consumo maior que o esperado, a concessionária que administra a captação de água em Campo Grande, a Águas Guariroba, descartou o racionamento de água no município.

Segundo informado pela empresa, em 2020 foi registrado um consumo de 22% acima da média. Historicamente, o aumento sobe em 15% nesta época de estiagem e altas temperaturas.

Porém, a Águas descartou a possibilidade de racionar água em Campo Grande e pede para que a população utilize a água de forma consciente.

Além disso, segundo ele, a Capital também conta com a produção de água de diversas fontes como poços, para minimizar o impacto da estiagem à população.

Mas, a situação deve normalizar somente com chuvas e temperaturas mais amenas.

Córrego seco

Conforme informou a Águas Guariroba a baixa vazão no Córrego Lageado é recorrente em períodos de estiagem. O manancial é um dos locais de captação de água que abastece Campo Grande.

Leitores do Jornal Midiamax tem relatado falta de água em alguns bairros da Capital.

A empresa informou que o córrego “sofre influência do adensamento urbano e processos erosivos pontuais”.

Esses motivos afetam a vazão e consequente recuperação do local. Além disso, a concessionária disse que a queda da vazão tem acontecido todos os anos e por isso a ampliação de outras fontes está sendo feita.

Por fim, a Águas Guariroba ressaltou que além do clima, as queimadas, oscilações de energia e furtos de cabos nas estação pode afetar as operações.

 

Mesmo com consumo acima do esperado, Campo Grande não terá racionamento de água
Mais notícias