Cotidiano

Mesmo com horário liberado, comércio não abriu mais cedo em Campo Grande

Após o decreto autorizando o comércio de Campo Grande abrir mais cedo nesta quinta-feira (7), os lojistas optaram em permanecer fechados às 7h30. O pouco movimento e o frio fizeram parte da decisão. Conforme o documento publicado na quarta-feira (6), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) autorizou o comércio varejista a abrir das 7h30 às 22h […]

Ana Paula Chuva Publicado em 07/05/2020, às 08h25 - Atualizado às 11h24

Ranziel Oliveira | Jornal Midiamax
Ranziel Oliveira | Jornal Midiamax - Ranziel Oliveira | Jornal Midiamax

Após o decreto autorizando o comércio de Campo Grande abrir mais cedo nesta quinta-feira (7), os lojistas optaram em permanecer fechados às 7h30. O pouco movimento e o frio fizeram parte da decisão.

Conforme o documento publicado na quarta-feira (6), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) autorizou o comércio varejista a abrir das 7h30 às 22h até a próxima segunda-feira (11), voltando ao horário normal já na terça-feira (12).

Mas, caminhando pela rua 14 de Julho, foi possível ver as lojas com as portas baixadas e quase ninguém caminhando pelas ruas.

Segundo a vendedora Larissa Gomes, 25 anos, a abertura mais cedo prejudicaria o funcionário, principalmente quem depende do transporte público. “O horário fica puxado para quem vem para o trabalho de ônibus, principalmente. No meu caso, a patroa resolveu abrir mais tarde porque realmente ficaria difícil para os funcionários”, relatou.

Além disso, o friozinho e o pouco movimento em razão da pandemia do coronavírus (covid-19) desestimulam o esforço. “Se tivéssemos com o tempo normal talvez abríssemos às 7h30, mas não tem necessidade. Tá frio e não teria movimento esse horário”, completa.

Jornal Midiamax