Mandetta terá reunião internacional para discutir coronavírus na quarta-feira

Reunião será realizada no Paraguai, com ministros de outros países da América do Sul

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), deve se reunir com ministros de alguns países da América do Sul para discutir os cuidados com o novo coronavírus ainda nesta semana. A reunião, que está marcada para quarta-feira (19) será realizada em Assunção, no Paraguai. O ministro ainda pontuou a preocupação com Mato Grosso do Sul, que tem quilômetros de seca com o país vizinho.

O ministro esteve em Campo Grande nesta segunda (17) para a assinatura do termo de serviço para a implantação do projeto Wolbachia e para a entrega de equipamentos a municípios de MS. Ele afirma que a reunião sobre o coronavírus contará com a presença de ministros do Paraguai, Uruguai, Argentina, Bolívia e Chile.

“A nossa é de trânsito de pessoas e mercadorias. Vamos dialogar para que cada país faça a vigilância e vamos nos informar o mais cedo possível sobre as eventuais situações problema”, disse.

Mandetta ainda pontua atenção especial com estados que têm seca com os países vizinhos, como Mato Grosso do Sul. “Algumas s são mais clássicas, com ponte, então tem uma barreira que é o rio. Outras são mais complexas, como é o caso do MS, temos a extensão de seca. A preocupação é sobre como a gente vai dialogar”, ressaltou.

Carnaval e transmissão de doenças

O ministro frisa que é preciso calma mesmo com a chegada do Carnaval, que favorece a formação de aglomerações e há ainda inúmeros navios na costa brasileira. Vale lembrar que um navio com dois casos suspeitos de coronavírus atracou no Porto de Santos, em São Paulo.  A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou, no entanto, que “até o momento, não há nenhum motivo para preocupação”.

“E se os turistas vierem com esta e outras doenças? É uma preocupação? É, mas também é uma festa popular. Vamos nos preparar e contar com os meios de comunicação para a gente passar por essa até ter uma vacina, que é o método mais apropriado para lidar com vírus”.

Ainda não há vacina contra o coronavírus, mas o Ministro chamou a atenção para a vacinação contra outras doenças, como é o caso do sarampo. Mandetta afirma que os índices de cobertura vacinal tem diminuído e que o retorno do sarampo é iminente. “Há uma baixa adesão [da vacinação] e vejo com tristeza em nome das crianças, é um direito que está no estatuto da criança e do adolescente”, disse ao chamar atenção para um caso de morte por sarampo em uma criança no Rio de Janeiro.

Mandetta terá reunião internacional para discutir coronavírus na quarta-feira
Mais notícias