Mais que números: mortes de coronavírus no Brasil poderiam dizimar 16 cidades de MS

Em menos de cinco meses desde o primeiro óbito, o Brasil soma mais de 91 mil mortes por coronavírus

Em menos de cinco meses mais de 91 mil pessoas morreram em todo o Brasil devido a , doença causada pelo novo coronavírus. O número de falecimentos é grande o suficiente para tirar vários municípios brasileiros do mapa. Em Mato Grosso do Sul, pelo menos 16 cidades já teriam sido dizimadas.

Segundo o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, até às 19h de 30 de julho 91.263 brasileiros e brasileiras haviam sido mortos por causa do coronavírus. Em escala mundial,  o Brasil é o segundo país com maior número de óbitos causados pela doença. Os dados são atualizados diariamente pela Johns Hopkins.

A primeira vítima fatal da no país foi registrada em 16 de março, o homem de 62 anos estava internado em São Paulo. Em uma semana, o Brasil chegou a registrar 7.677 mortes por coronavírus. 

Quantidade para dizimar cidades

O número total de vítimas brasileiras da , durante a pandemia, é capaz de dizimar 16 municípios de MS, sendo que outros 3.687 moradores de uma 17ª cidade estariam mortos. Ou seja, se as mortes fossem concentradas em municípios do Estado, 16 municípios sul-mato-grossenses deixariam de existir.

Assim, são eles: Jaguaguari, Bandeirantes, Juti, Selvíria, Caracol, Vicentina, Corguinho, Douradina, Paraíso das Águas, Rochedo, Alcínopolis, Rio Negro, Jateí, Novo Horizonte do Sul, Taquarussu, Figueirão. De acordo com a estimativa de população realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) em 2019, juntos estes municípios possuem 87.576 habitantes.

Outras combinações de cidades também poderiam sumir do mapa de MS caso concentrassem as mortes por coronavírus em todo o país. Como por exemplo Sidrolândia e Coxim, que possuem juntas 91.208 moradores, número quase equivalente ao total de óbitos até a última quinta-feira (30).

Mortes por coronavírus no MS

Mais que números: mortes de coronavírus no Brasil poderiam dizimar 16 cidades de MS
Foto: SES.

Até a última sexta-feira (31), Mato Grosso do Sul possuía 376 óbitos causados por coronavírus em todo o Estado. Em julho, o número de vítimas fatais por no MS foi quatro vezes maior do que no mês anterior. Os dados foram divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

A primeira morte no Estado foi registrada em março e a segunda só foi confirmada em abril, que teve oito óbitos no total. Então, em maio, 11 sul-mato-grossenses faleceram devido ao coronavírus.

Em junho, o número subiu e 70 pessoas foram vítimas da no Estado. Julho fechou os 31 dias com 286 mortes registradas em todo o MS. Assim, o número representa que a cada dia, cerca de nove famílias perderam entes para o coronavírus.

Medidas para se prevenir

Até o momento não foi registrada vacina contra o coronavírus. Então, a (Organização Mundial da Saúde) recomenda que um conjunto de medidas sejam adotados para enfrentamento da pandemia.

De acordo com a SES e a , a melhor forma de prevenção é manter o isolamento social. Ou seja, é recomendado que as pessoas fiquem em casa durante o máximo de tempo possível e só saiam para atividades essenciais.

Quando for necessário sair em ambiente fora de casa, é necessário fazer uso de máscaras de proteção. Além disto, as mãos devem ser higienizadas com álcool em gel sempre que entrarem em contato com superfícies. A higienização das mãos também deve ser realizada com água e sabão, quando possível.

Mais que números: mortes de coronavírus no Brasil poderiam dizimar 16 cidades de MS
Mais notícias