‘Hospital de campanha’ no HRMS estaria expondo pacientes de covid-19 a frio e goteiras

Água da chuva teria se acumulado na tenda e 'virou cachoeira' no fim de semana em Campo Grande

Instalado e em funcionamento, o Hospital de Campanha no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) tem problemas de estrutura que expõem pacientes com covid-19 a frio e goteiras durante as chuvas do último fim de semana em Campo Grande.

Segundo a denúncia, as tendas sofreram infiltrações e pacientes que estavam internados chegaram a ficar no frio no último sábado (27).

De acordo com os relatos ao Jornal Midiamax, funcionários dos chegaram a ser orientados para não ficarem na tenda durante a chuva, pois ‘não seria seguro’. “Fomos orientadas para, com chuva de vento, não ficar ali porque não é seguro. E como ficam os pacientes lá?”, questionou uma servidora.

Os servidores também se preocupam com o fato de os pacientes dentro do Hospital de Campanha terem passado frio e correrem risco de se molhar com infiltrações da chuva.

“Tinham pacientes lá dentro e choveu e molhou muito [dentro]. Isso porque não foi uma chuva forte. A tal tenda acumula água em cima e depois começa a cair como se fosse uma cachoeira”, relatou à reportagem.

Contatada, a assessoria de imprensa do afirmou inicialmente que possui uma equipe técnica a disposição para fazer qualquer manutenção no Hospital de Campanha, mas que afirmou não responderia denúncias sem identificação. Em resposta sobre a demanda, a assessoria informou sobre a manutenção:

Informamos que o é feito de arquitetura efêmera e os intempéries podem, esporadicamente, trazer algum problema, que não eh possível de ser visto em dias comuns. As empresas responsáveis pela arquitetura tem pessoal disponível 24 horas no local para esses ajustes“, informou.

Os servidores e parentes de familiares temem represálias, por isso contam com o sigilo ao denunciarem a situação. Além disso, a reportagem solicitou ao Governo de MS informações sobre o contrato para construção da estrutura de lona, como valores, e aguarda retorno.

*matéria atualizada às 12h56 para acréscimo de informação

Hospital de campanha no para ‘apoio’

O Hospital de Campanha montado nas dependências do começou a funcionar no dia 24 de junho em Campo Grande para desafogar a sobrecarga nos leitos.

O funcionamento foi anunciado pelo Governo do Estado e a medida aconteceu após a SES (Secretaria de Estado de Saúde) registrar 78,1% da taxa de ocupação nos leitos.

Mesmo estando em funcionamento, o ainda recebe os ajustes finais. As tendas estão passando por uma manutenção preventiva, os setores efêmeros receberam insumos e área administrativa finaliza o sistema para os atendimentos.

O secretário de saúde, Geraldo Resende explicou que a estrutura foi planejada ainda no início da pandemia, com o Estado adotando medida preventiva para uma possível sobrecarga no sistema de saúde.

“Sempre ressaltei que não queríamos chegar ao ponto de ter que usar este centro de triagem, porém nos organizamos para este momento. Este local será usado para os casos não relacionados à Covid-19. Com o atual cenário, o acionamento da tenda se torna inevitável. Esperamos que a população passe, agora, a colaborar para que a pandemia não avance ainda mais”.

O conta com 144 leitos de enfermaria que não serão ocupados em sua totalidade. O , que teve sua estrutura iniciada no mês de março, será utilizado para receber pacientes não Covid-19, mas que precisam ficar internados. As unidades intensivas do prédio continuam atendendo pacientes com o coronavírus e outras patologias.

'Hospital de campanha' no HRMS estaria expondo pacientes de covid-19 a frio e goteiras
Mais notícias