‘Fugindo’ da folia, retiros unem diversão à reflexão e busca por algo além das festas

Geralmente associados às igrejas, os já tradicionais retiros levam há décadas pessoas que procuram um refúgio em época de Carnaval

Que o Carnaval é o período mais festejado no país, não é segredo algum. Enquanto muitos não titubeiam em ir comemorar nas ruas ou mesmo em clubes, outros procuram ‘fugir’ dos agitos típicos dessa época do ano e vão aos já tradicionais retiros. Porém, erra quem acredita que ali não exista diversão.

Ligados a denominações religiosas, os retiros são geralmente associados a ambientes de plena calmaria, estudos e oração. Mas nem sempre é assim: em geral, os retiros são marcados também por brincadeiras, gincanas, atrações culturais e outras atividades.

Tudo isso acontece ligado a uma busca pessoal, estar mais próximo de Deus e encontrar a si mesmo em um ambiente, que em geral, promove a socialização das pessoas. Foi assim que há 33 anos Claudia Marchioreto, hoje bispa da Igreja Apostólica Mensagem do Amor de Deus, iniciou sua caminhada dentro da igreja e nos retiros de Carnaval.

“Eu tinha acabado de conhecer a igreja. Amigos me levaram para o culto e na outra semana já era o retiro. Foi bem legal, conheci as pessoas, a igreja melhor. O que me motivou a ir foi a curiosidade de querer conhecer e meus amigos que estavam lá. Foi algo totalmente novo do que já tinha vivido naqueles então 15 anos de vida”, comenta.

Já para Alécio Ayala, do Santuário São Judas Tadeu, tudo começou há mais de 20 anos com a motivação de buscar mais a Deus e conhecê-lo, além de se aproximar de pessoas que também o levariam a concretizar esse objetivo.

“Encontrei em Deus um sentido em minha vida. É uma paz e alegria que não fica somente nos cinco dias de Carnaval, é plena. Eu sei que na Quarta-feira de Cinzas eu vou estar alegre ainda”, comenta Alécio, que é coordenador da renovação carismática de sua comunidade.

Hoje com 38 anos, ele também frisa que participa do ‘Carnaval com Cristo’ há mais de 20 anos. “É uma coisa que eu gosto. Não tenho nada contra quem busca o Carnaval secular, mas faço essa opção. Também tento fazer com que outras pessoas experimente isso, pessoas que precisam de ajuda, entre outros. Levei isso como uma missão”.

Neste ano, o evento ‘Rebanhão de Carnaval 2020’ da RCC (Renovação Carismática Católica) acontecerá entre sábado (22) e terça-feira (25) na Paróquia São Judas Tadeu. Outras igrejas também farão eventos semelhantes.

Já no caso de Claudia, este ano a igreja de Campo Grande não conseguiu organizar o retiro, então uma van com 10 pessoas e mais um carro com quatro foi para Aparecida de Goiânia, onde será realizado o retiro da igreja a qual o irmão dela faz parte.

“Retiro não dá para fazer para dez pessoas, por exemplo. Precisa de mais gente para ser legal, porque tem as gincanas, etc, e isso requer mais gente. Então vamos para Aparecida de Goiânia, onde meu irmão está e cuida da igreja lá. É a primeira vez que ele organiza, então vamos para lá após receber o convite dele”, explica.

Além disso, ela aponta o período de Carnaval como uma época para recarregar as energias. “Somos levados a um tempo de retrospecção e de busca de estratégias para aplicar durante o ano. É bom e agradável que os irmãos vivam em união”, conclui.

Mais notícias