Filme de projeto da UFMS participa de mostra internacional do Cinema Negro

Entre os dias 10 e 14 de novembro, será realizada a 16ª Mostra Internacional de Cinema Negro. O evento é promovido pelo Museu da Imagem e do Som (MIS-SP) e pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado de São Paulo, pela Coleção Africanidade Celso Prudente e Gargântua Produções e será transmitido pela plataforma do MIS-SP.

Uma das produções selecionadas foi o filme de animação Mariquinha no mundo da imaginação, realizado no âmbito do projeto de extensão Brincar de fazer cinema com crianças, da Faculdade de Educação (Faed) da UFMS, dirigido e produzido pela professora Constantina Xavier Filha.

Segundo a professora, o roteiro do filme é livremente inspirado nas obras do poeta e tem como temática a relação com a e com os direitos humanos de crianças de brincar e exercer seu direito ao livre pensamento e à imaginação. “O filme foi realizado com crianças do quinto ano do ensino fundamental da escola municipal Maria Regina de Vasconcelos Galvão, em Campo Grande. O roteiro e as demais etapas do filme foram desenvolvidas com as crianças, em encontros semanais durante um semestre e a filmagem, na técnica de stop motion, foi toda realizada na escola”, explica Constantina. O filme já percorreu festivais importantes como o Anima Latina e Festival de Internacional de Cortos de Animación La Tribu Cartón ambos na e Festival de Cinema Escolar de Alvorada, no qual recebeu o prêmio de melhor animação.

“A poesia e o cinema de animação são duas artes muito potentes para serem vividas pelas crianças na escola. Foi isso que fizemos no projeto de extensão levando as poesias do magnífico para serem saboreadas e experienciadas pelas crianças. No início elas tiveram resistências com as poesias do poeta, mas aos poucos fomos trazendo o Manoel para ser mais próximo delas e suas poesias passaram a ser tratadas com o lirismo do dialeto manoelês e o sabor das vivências das s”, destaca a professora.

O filme conta a história de uma menina, Mariquinha, que tem o quintal maior do que o mundo, brinca no rio que tem atrás de sua casa, carrega água na peneira e ao ler as poesias vai para o mundo da imaginação encontrar seu amigo Nardo. “A imaginação, a ludicidade e a brincadeira são questões tratadas como direitos humanos das crianças no filme. Ter o filme exibido em mostras nacionais e internacionais nos deixam muito felizes porque mostram nossa produção do cinema sul-mato-grossense e divulgam nossas ações na UFMS, potencializando a extensão universitária. Agradeço a todas as pessoas envolvidas, especialmente as crianças e a equipe composta de técnica administrativa e acadêmicos da Pedagogia da Faed. Também agradecemos imensamente a professora regente da sala e a direção da escola”, finaliza Constantina. (Informações da assessoria)

Filme de projeto da UFMS participa de mostra internacional do Cinema Negro
Mais notícias