Cotidiano

Família precisa de ajuda após barraco pegar fogo em favela da Homex em Campo Grande

ineia Dias de Jesus, 36 anos e os três filhos – 7 e 4 anos e um bebê de 4 meses – foram surpreendidos com um incêndio que destruiu o pouco que a família tinha na noite desta quinta-feira (7). O barraco localizado no Jardim Centro Oeste fazia parte da invasão de um terreno da […]

Ana Paula Chuva Publicado em 08/05/2020, às 12h08 - Atualizado às 17h21

None
Mãe solo, Valdineia se emociona ao lembrar do filho chorando quando viu o fogo. (Ranziel Oliveira | Midiamax)

ineia Dias de Jesus, 36 anos e os três filhos – 7 e 4 anos e um bebê de 4 meses – foram surpreendidos com um incêndio que destruiu o pouco que a família tinha na noite desta quinta-feira (7). O barraco localizado no Jardim Centro Oeste fazia parte da invasão de um terreno da Homex.

A família foi morar no local há 6 meses, após a mãe ficar desempregada por estar grávida e não conseguir mais pagar o aluguel. “Eu vim parar aqui em novembro de 2019. Comprei por R$ 1,8 mil. Antes disso morava de aluguel quando separei do meu marido que me agredia, mas fiquei desempregada e não deu mais para pagar”, explicou Valdineia.

Segundo ela, na segunda-feira (4), saiu com os filhos para ir cuidar da mãe que estava doente e por volta das 21h20 desta quinta recebeu a ligação que contou sobre a tragédia. “Me ligaram, eu tava na casa da minha mãe que é hipertensa cuidando dela. Me disseram que a casa estava pegando fogo. Acho que foram os fios de energia que deram curto”, diz.

Valdineia então correu para ver o que estava acontecendo com sua casa. “Cheguei aqui tinha perdido tudo que comprei aos pouquinhos. Fogão, geladeira, sofá, as roupas e sapatos, brinquedos das crianças, máquina. A comida que acabei de comprar com o auxílio emergencial. A gente demora anos para construir e perde tudo num instante”, relatou.

Mãe solo e com a única renda atual sendo a do Bolsa Família, Valdineia vê o momento como mais um recomeço, mas teme pelos filhos. “Vamos começar do zero mais uma vez só que sem casa, sem roupa, sem comida e sem emprego, mas criança não espera. Meus filhos precisam ter onde morar e o que comer. Quando mostrei o vídeo do fogo para o mais velho ele começou a chorar e suspirou: Poxa mãe, agora que tínhamos conseguido nossa casinha? Não aguentei”, desabafa.

Nesta sexta-feira (8), Valdineia e os filhos devem passar a noite na casa de uma vizinha, mas a família precisa de ajuda para reconstruir o barraco, além de roupas e alimentos. “O que vier de ajuda eu agradeço, o momento não está fácil para ninguém, mas até a comida que comprei com os R$ 600 pegou fogo no incêndio. É mais um recomeço, e o que a gente não faz pelos filhos”, concluiu.

Quem quiser ajudar Valdineia e os filhos com doação de materiais para reconstrução do barraco, móveis, roupas e calçados e alimentos, além de brinquedos para as crianças, pode entrar em contato pelo (67) 99321-9603.

Jornal Midiamax