Coronavírus: Evitar contágio é possível com hábitos simples, alertam especialistas

Hábitos simples como higienizar as mãos e usar álcool gel podem evitar contágio

Com um caso confirmado de coronavírus (CoVid-19) no Brasil e um suspeito em Mato Grosso do Sul, o temor pela infecção do vírus, que pode ser letal, levanta questionamentos sobre que hábitos podem prevenir a contaminação.

O Jornal Midiamax conversou com a infectologista Priscilla Alexandrino, que trás um passo a passo de como se prevenir e evitar o contágio não só do coronavírus, mas da maioria das infecções virais que podem ser transmitidas pelo ar, por meio de gotículas de saliva. Segundo ela, tudo começa com hábitos de higiene básicos.

Assim, de acordo com a médica, manter as mãos lavadas e fazer o uso do álcool em gel (modelos comuns, vendidos em lojas de limpeza) com frequência são boas iniciativas de prevenção, especialmente após fazer contato direto com pessoas que estão doentes, ou com o meio ambiente e antes de se alimentar.

“Também é importante evitar contato próximo com pessoas que tenham infecções respiratórias agudas; cobrir, de preferencia com o braço, o nariz e a boca ao espirrar ou tossir e se usar as mãos deve logo em seguida higienizá-las; evitar tocar em mucosas dos olhos; usar lenço descartável para higiene nasal”, informa a médica.

Vale ressaltar também a importância de não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. A médica também recomenda manter os ambientes bem ventilados, para evitar concentração do vírus no ambiente.

Lavar as mãos

No site do , a orientação para evitar a contaminação e também transmissão de infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus, reforça a necessidade de lavar as mãos com frequência com sabonete, por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

A comunicação também recomenda evitar toques nos olhos, nariz e boca com as mãos sujas e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência. “Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção)”.

Que máscara evita coronavírus?

Coronavírus: Evitar contágio é possível com hábitos simples, alertam especialistas
Foto: TYRONE SIU/Divulgação Agência Brasil

Uma grande polêmica em meio ao coronavírus é acerca de que tipo de máscara é realmente eficaz para conter a infecção viral.

Neste contexto, um estudo da Universidade de Londres comandado pelo pesquisador David Carrington expõe que as máscaras simples não são eficazes contra vírus e bactérias transmissíveis pelo ar, já que além de frouxas, não possuem filtro de ar e também deixam os olhos expostos – as conjuntivas oculares são vias fáceis de infecções virais.

No entanto, os utensílios não são totalmente descartados e podem, sim, ser muito úteis para evitar contrair vírus transmitidos por gotículas de saliva, que são costumeiramente dispersados em espirros e tosses. Esta, a propósito, é uma das formas de contaminação do novo coronavírus.

Especialistas também alertam que, caso o paciente apresente sintomas da doença e tenham relacionado a isso histórico de viagens aos países com alerta, a procura por ajuda médica jamais deve ser feita por transporte coletivo, como ônibus ou aplicativos de carona: o paciente deve ligar para o 192, para acionar transporte por ambulância, ou deslocar-se com transporte próprio.

Coronavírus: Evitar contágio é possível com hábitos simples, alertam especialistas

O dispõe de um site com informações atualizadas sobre o novo coronavírus, que o leitor pode acessar clicando AQUI.

Coronavírus: Evitar contágio é possível com hábitos simples, alertam especialistas
Mais notícias