Escombros quentes ainda dificultam busca por desaparecido em usina de MS

Equipes do Corpo de Bombeiros trabalham no resfriamento das águas

As equipes do ainda atuam no resfriamento dos escombros do tanque de , na usina Passa Tempo, em Rio Brilhante, a 158 quilômetros de Campo Grande. O irmão de um vereador da cidade está desaparecido após a explosão.

Conforme o tenente-coronel Fernando Carminati, a estrutura dos tanques de metal ainda estão quentes e impossibilitam a procura de possíveis vítimas do acidente.

“Precisa resfriar o local para que as equipes se aproximem dos escombros. Existe ainda pedaços de tanque, que estão espalhados como a tampa e a parte superior no local. A estrutura precisa esfriar que eles procurar embaixo ou nas proximidades. Eles estão a postos aguardando, mas ainda está muito quente”, disse.

Os militares trabalham no rescaldo. A chuva também colaborou para a extinção das chamas. O efeito de combate conta com 4 viaturas do Bombeiros, 10 militares, 30 brigadistas, e 10 caminhões de tanque da empresa que ficou à disposição dos combatentes.

Segundo a empresa, do Grupo Biosev, as equipes estão atentas e buscando informações, junto a outros colaboradores, sobre o paradeiro do funcionário que desapareceu no acidente.

“A companhia reitera que investe constantemente na segurança de seus processos e atua na prevenção e mitigação de riscos. Dessa forma, esclarece que irá colaborar com as autoridades competentes na apuração e identificação das causas do incêndio e prestará todos os esclarecimentos necessários”.

Escombros quentes ainda dificultam busca por desaparecido em usina de MS
Mais notícias