Escolas esperam baixa adesão no retorno do fundamental a um mês de terminar ano letivo

Particulares foram autorizadas a retomar aulas presenciais a partir do dia 4 de novembro

O retorno das aulas presenciais para o ensino fundamental nas escolas particulares de Campo Grande a partir do dia 4 de novembro deve ter baixa adesão de alunos. Além da pandemia, a volta acontece a um mês do fim do ano letivo na maioria das instituições.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, apenas 21 das 54 escolas que oferecem o Ensino Médio voltaram às aulas em Campo Grande. A expectativa é de que a maioria das escolas que oferecem o ensino fundamental chamem parte dos alunos para as salas. Entretanto, é esperado que poucas crianças retornem.

Apesar da baixa adesão, a presidente do Sinepe (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de MS), Maria da Glória, comemora o decreto que autorizou o retorno. “Finalmente o último decreto. Com isso, graças a Deus, concluímos e passamos por todas as etapas esse ano”.

Em relação ao retorno dos alunos, Maria da Glória avalia que “está uma situação bastante variada”, mas que no geral não chega aos 30% permitido pela prefeitura.

Pais são contra

No Facebook do Jornal Midiamax, a maioria se posicionou contra levar os filhos à escola durante a pandemia.

É o caso de Rúbia Karoline. “Meu filho eu não mando mais, não. Já acabou o ano letivo já faz é hora. Só ano que vem e olhe lá. E ponto, o filho é meu”, argumentou.

A opinião é compartilhada por Cilma Dias, que afirma que as aulas deveriam retornar somente no ano que vem “e olha lá”.

Por outro lado, alguns justificam o retorno com as flexibilizações em vários outros segmentos. “Se podem estar em todos lugares, porque não na escola?”, questionou um pai.

Aulas remotas

Levantamento feito pelo site especializado em maternidade “Trocando Fraldas” mostra que 83% das mães não concordam com a retomada das aulas presenciais em .

Ainda conforme o estudo, MS é o 8º estado do país em que os filhos têm condições de participar das aulas remotas sem restrições. E eles contam com 75% das mãe que declaram ter tempo para ajudar os filhos com as atividades escolares.

O estudo foi feito com 11.800 pessoas entre os dias 8 e 12 de outubro.

Escolas esperam baixa adesão no retorno do fundamental a um mês de terminar ano letivo
Mais notícias