Em testes em MS, vacina chinesa tem 6 milhões de doses liberadas para importação no Brasil

As doses virão prontas da China e as outras 40 milhões serão envasadas e rotuladas no Instituto Butantan

A CoronaVac, vacina chinesa em fase de testes em Mato Grosso do Sul e em outros estados do país, teve 6 milhões de doses liberadas para importação no Brasil. A informação foi anunciada nesta tarde pela (Agência Nacional de ).

Conforme o G1, no total, o governo paulista fechou contrato com a Sinovac, farmacêutica chinesa, para a aquisição das 46 milhões de doses da CoronaVac. Essas primeiras 6 milhões virão prontas da e as outras 40 milhões serão envasadas e rotuladas no Instituto Butantan.

Mais cedo, também nesta sexta-feira, o diretor do Butantan, Dimas Covas, disse que o cronograma estipulado pelo governo de São Paulo para a produção da CoronaVac estaria mantido, independentemente de um suposto atraso da em liberar a importação de matéria-prima da .

No mesmo dia, a agência negou o entrave e liberou a compra das doses, mas a questão da importação da matéria-prima ainda não foi esclarecida. O governo de São Paulo também anunciou nesta sexta-feira (23) a criação de seis novos centros para a realização de testes da CoronaVac em voluntários. Com isso, o total de locais em que a pesquisa é realizada no país aumenta para 22.

A CoronaVac está na terceira fase de testes entre profissionais de saúde brasileiros. Até agora, 15 mil vacinações foram aplicadas em nove mil voluntários. Cada voluntário recebe duas doses. Com a abertura dos novos centros, a meta é ampliar a pesquisa para o total de 13 mil voluntários.

Em testes em

Os servidores da área da Saúde em que se voluntariaram para os testes da CoronaVac, vacina chinesa em testes no Brasil pelo Instituto Butantan, ainda seguem em avaliação. O instituto é responsável pela triagem dos voluntários e de acordo com a SES (), MS ainda não tem voluntários aptos para receber as doses das vacinas.

Ao Jornal Midiamax, a secretaria explicou, por meio da assessoria de imprensa, que o Instituto Butantan segue realizando a seleção e ainda não foi divulgado quantos sul-mato-grossenses se voluntariaram para participar dos testes da vacina. “O responsável pela seleção de voluntários é o instituto Butantan. Ainda não há voluntários aptos aprovados para os testes em ”, informou.

O anúncio do início da testagem no Estado foi feito no dia 15 de outubro pela SES, que explicou que apenas que funcionários da área da saúde tanto do setor público ou privado, com idades entre 18 e 59 anos, poderão participar. Serão mais de mil voluntários, que deverão receber duas doses da CoronaVac.

Em testes em MS, vacina chinesa tem 6 milhões de doses liberadas para importação no Brasil
Mais notícias