Em período crítico para araras, moradores podem até ajudá-las em certas ocasiões

"Araras juvenis" apreendem a voar entre novembro e janeiro, período em que podem se envolver em acidentes

Após o resgate de uma arara-canindé que ficou presa em meio a linhas de pipa na manhã desta terça-feira (14), o Instituto Arara Azul deu dicas para os moradores que se depararem com as aves no quintal de casa ou na rua. O período entre novembro de janeiro é quando as “araras juvenis” saem do ninho para aprenderem a voar.

Conforme a coordenadora e criadora do instituto, Neiva Guedes, a equipe tem trabalhado duro desde novembro promovendo o resgate das ararinhas no perímetro urbano de Campo Grande.

“Esse é o período que elas saem dos ninhos e como estão aprendendo a voar, elas esbarram em muros, árvores e na rede elétrica. É importante que quando um morador perceber uma arara caída, ela prenda os animais domésticos naquele momento e tente colocar em um lugar mais alto possível o filhote [de arara]”, disse Neiva ao Jornal Midiamax.

O ideal, conforme a coordenadora, é que o morador não pegue a ave com as mãos, mas sim com um galho de árvore resistente ou um cabo de vassoura. Feito isso, a arara deve ser elevada até uma árvore e ela mesma se deslocará para o galho. Novamente no alto, o morador permite que o animal continue sendo alimentado pelos pais até que consiga “se virar” sozinho.

Quando o morador tentar fazer essa manobra, mas a ararinha não se mover, é porque ela pode ter sido ferida na queda. Diante desta situação, é importante acionar a PMA (Polícia Militar Ambiental) ou o Instituto Arara Azul.

“Quando o bicho está imóvel é porque ele realmente está machucado e é porque ele não está bem. Neste caso, a pessoa deve ligar para nós ou a PMA imediatamente”, afirmou. Neste período de aprendizado para as araras, o Instituto tem recebido, em média, uma ligação por dia para socorrer, mas teve dias, segundo Neiva, que equipe chegou a se deslocar três vezes pela cidade para atender solicitações.

“Recentemente teve um caso que uma arara caiu na piscina de uma casa e os moradores só viram depois. Quando chegamos para socorrer, ela infelizmente havia morrido afogada”, relatou Guedes.

A população quando ver um filhote machucado, deve acionar a PMA no telefone (67) 3318-6700 ou o Instituto Arara Azul no (67) 3222-1205. A organização pode ser contatada através das redes sociais no Instagram (aqui) ou no Facebook (aqui).

Em período crítico para araras, moradores podem até ajudá-las em certas ocasiões
Mais notícias