Em nota, MBL pede saída de Weintraub

O Movimento Brasil Livre (MBL) divulgou nota nesta terça-feira, 28, pedindo a saída do ministro Abraham Weintraub do Ministério da Educação. “Em virtude do trabalho lamentável que ele tem exercido à frente de uma das mais importantes pastas ministeriais”, diz o MBL na nota para justificar o pedido.

“Infelizmente, a inadequação de Weintraub ao cargo não se resume à sua intemperança verbal. Ela é mais grave”, completa. O movimento cita também os erros na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O MBL, que tem o deputado Kim Kataguiri (DEM-RJ) como seu representante na Câmara, pede que Weintraub seja substituído por alguém “competente, técnico e responsável, à altura do importante cargo que ocupa”.

Veja a nota na íntegra:

“O Movimento Brasil Livre (MBL) vem em nota pedir a saída do ministro Abraham Weintraub do Ministério da Educação, em virtude do trabalho lamentável que ele tem exercido à frente de uma das mais importantes pastas ministeriais.

A presença do ministro Weintraub é incompatível com um governo que, durante a campanha eleitoral, prometeu um ministério de notáveis. O ministro Weintraub, entretanto, se notabiliza, exclusivamente, por sua falta de decoro e incompetência.

No que concerne à falta de decoro, basta-nos recordar as inúmeras declarações descabidas que o ministro deu ao longo do ano passado. Formam uma lista extensa, da qual basta citar a alusão ao escritor Kafta (primo árabe, talvez, do tcheco Kafka), a declaração sobre as supostas “plantações extensivas de maconha” nas universidades públicas; o xingamento “égua sarnenta e desdentada”, desferido contra a mãe de uma internauta que lhe questionava. É, realmente, como diria o ministro, imprecionante.

Infelizmente, a inadequação de Weintraub ao cargo não se resume à sua intemperança verbal. Ela é mais grave. Paralisia e ausência de projetos para a educação caracterizam a sua passagem pelo ministério. Por fim, estamos assistindo a erros sucessivos na condução do ENEM: notas incorretas, recorreções e, neste momento, o vazamento do SISU, descumprindo ordem judicial.

Resta claro que Abraham Weintraub não tem os predicados de um ministro da educação. Falta-lhe a postura do cargo, a iniciativa e a competência, até no que se refere a algo elementar como a simples divulgação correta das notas do ENEM. Ele deve ser substituído por alguém competente, técnico e responsável, à altura do importante cargo que ocupa.”

Mais notícias