Em colapso, Santa Casa diz que vítimas de violência são responsáveis por lotação

38% dos pacientes da UTI são vítimas de politraumatismo, o que causou a lotação

Uma semana após inaugurar 10 novos leitos  (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com Covid-19, o novo coronavírus, a Santa Casa anunciou nesta segunda-feira (27) que atingiu 100% de ocupação dos leitos. A causa, segundo a superintendência de gestão hospitalar, seriam as vítimas de violência.

Ao contrário do que se pensava, o superintendente do hospital, Luiz Kanamura, explicou que atualmente 99% dos pacientes da são pacientes ‘não-Covid’ e superlotação aconteceu devido ao aumento de vítimas de politraumatismo, como por exemplo, acidentadas, esfaqueadas, baleadas, etc.

“Nesse mês houve um aumento progressivo de pacientes politraumatizados. Comparado a julho de 2019, houve um aumento de 115 pessoas encaminhadas. Somente neste final de semana foram encaminhados 229 pacientes. Desse número, 38% representa pacientes politraumatizados”, explicou.

Kanamura diz que nesta madrugada, 11 pacientes precisaram de ser encaminhados do Pronto Socorro para a , mas as vagas estão todas ocupadas. “Todos os dias pacientes utilizam a ventilação manual e dois pacientes chegaram a ficar 24 horas no ambu [ventilação manual]. E nessa madrugada, cinco pacientes estavam no ambu e seis no ventilados, que deveriam ser encaminhados para a ”, disse.

Segundo o superintende, os 11 pacientes corresponderam a superlotação. Ela esclarece que a tem 90 leitos, sendo 80 para geral e 10 para pacientes com coronavírus.

Atualmente a Santa Casa atende 18 pacientes com covid-19,  dez em leitos de , seis em leitos isolados e dois na ala privada.

Apesar da lotação, Kanamura diz que a Santa Casa não vai deixar de atender os pacientes. “Mesmo nessas condições, a Santa Casa em hipótese alguma vai interromper atendimento. Pedimos conscientização das pessoas”, disse.

Leitos em Campo Grande

Campo Grande registra nesta segunda-feira (27) 90% de taxa de ocupação de leitos de s (Unidades de Terapia Intensiva). O índice é alarmante, segundo o secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende. “Mesmo com aumento do número de leitos, ainda temos esse índice de ocupação, o que mostra que a a população não tem se isolado como deveria na Capital”, alertou.

Em todo o , são 217 pessoas internadas em s, sendo 457 ao todo, quando contados os leitos clínicos de internação. A macrorregião de Dourados tem 59% de ocupação, a de Três Lagoas, 45% e a de Corumbá, 63%.

 já soma 21.802 casos confirmados de , conforme o boletim epidemiológico do novo coronavírus, divulgado pela  (Secretaria de Estado de Saúde) nesta segunda-feira (27). As últimas 24 horas também registraram 14 óbitos, levando o total de mortes a 319.

Em colapso, Santa Casa diz que vítimas de violência são responsáveis por lotação
Mais notícias