Durante pandemia, Santa Casa registra 75% em internações por acidente doméstico

Acidentes vão de queimaduras a cortes, aponta levantamento

A divulgou, nesta quinta-feira (22), um balanço de atendimento e internações de acidentes domésticos. Durante a pandemia, casos que vão de queimaduras a cortes em casa aumentaram cerca de 75% de casos.

Conforme os dados do hospital, entre janeiro a outubro de 2019, foram internados cerca de 85 pacientes vítimas de queimaduras, lesão nos olhos, cortes, fraturas e traumas em geral ocorridos em casas. Já neste ano, o número passou para 146 ocorrências.

“Esse tipo de acidente pode acontecer em qualquer idade, mas o número de crianças foi muito grande, principalmente com queimaduras. Chegamos a ter aqui na área de queimados dez crianças ao mesmo tempo, um número que pode ser considerado muito alto”, comentou a médica Patrícia Otto de Matos, chefe das enfermarias pediátricas da unidade.

O número é mais que o dobro da média mundial, comparado a pesquisa feita pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que é de 30%.

A maior parte dos casos mais graves envolve crianças, que frequentemente ficam internadas por semanas tratando das lesões. Um dos casos recente, é de uma criança que acabou caindo em uma panela de doce, sofrendo 70% de queimadura no corpo.

“Também teve a situação de uma senhora que varria o quintal e, ao colocar fogo nas folhas, não observou que tinha um frasco de spray aerossol que explodiu, queimando a neta, enfim, uma série de casos principalmente neste período de pandemia”, destacou a Dra. Patrícia.

Descuido por segundos

Morando em um sítio em Nova Alvorada do Sul, a mãe do pequeno Lázaro, que está internado no setor de pediatria, Daniele dos Santos, conta que levou um susto ao ouviu o filho gritar ao cair. A criança sofreu lesão na vertebra da coluna cervical.

“Foi um grande desespero que não consigo descrever. Estava no banho quando ouvi os gritos e saí para ver o que era. Minha filha já estava com ele no colo e o colocamos no carro e saímos para buscar atendimento. Por mais que a gente cuide, tem esse minuto de bobeira e, com criança, temos que manter a atenção redobrada”, explica.

Ainda segundo o balanço, a maior parte dos acidentes domésticos acontecem na cozinha. A profissional alerta que a prevenção é o maior meio de evitar os acontecimentos.

“Não apenas com fogo, queimaduras com água, mas também objetivos cortantes e produtos químicos que costumamos guardar no local. Aqui temos muitos casos de famílias que acabaram se intoxicando com sabão de soda, normal em nossa região”, ressalta.

Durante pandemia, Santa Casa registra 75% em internações por acidente doméstico
Mais notícias