Desempregada, mulher pede ajuda para realizar cirurgia na vesícula e redução de estômago

Ela aguarda na fila do SUS (Sistema Único de Saúde) há 18 anos, está com pedras na vesícula e sofrendo com obesidade.

Marcela Roman Armoa,39, está desempregada por meses e, as comorbidades da obesidade vem tirando o sono por conta das dores. Há 18 anos na fila do SUS (Sistema Único de Saúde), ela tenta pagar por cirurgias na rede particular de Campo Grande e pede ajuda para conseguir pagar despesas.

Mãe de duas filhas, ela conta que nunca conseguiu brincar com as crianças como gostaria por consequências do sobrepeso. Ela foi diagnosticada com obesidade mórbida.

“Já sofro de obesidade desde que me entendo por gente, com 11 anos eu tinha 80 quilos e com o passar dos anos fui engordando. Tentei levar isso como se não fosse um empecilho. De três anos para cá, sofro com dores nos pés, complicações na pressão arterial, gastrite, e agora estou pré-diabética com pedra na vesícula”, disse.

Os exames também apontam que ela sofre de hipotireoidismo, doença que afeta o metabolismo e facilita no ganho de peso inexplicável. Com a ajuda do pai, conseguiu carência pela Cassems, porém, os gastos são muitos, então, decidiu realizar uma rifa e vaquinha on-line para arrecadar fundos.

“Já fiz todos os exames, mas falta dinheiro. Fiz uma rifa solidária, corri atrás de patrocínio, vendi algumas, só que não tenho mais para quem recorrer. Parece pouco, mas para mim é muito. Eu quero minha saúde, quero poder brincar com minhas filhas, coisas que eu não consigo, ver elas crescendo e se formando.”

O plano da unidade particular também tem validade até o dia 27 de agosto. Apenas o marido trabalha, e não conseguem sustentar a casa e ao mesmo tempo pagar o convênio.

O objetivo é arrecadar R$ 3,8 mil. Quem quiser ajudar, clique aqui, para acessar a vaquinha on-line e saber um pouco mais da história e sonhos da Marcela.

Desempregada, mulher pede ajuda para realizar cirurgia na vesícula e redução de estômago
Mais notícias