Delegado arquiva B.O por incitar aglomeração contra vereador

Adãozinho teria pedido para que ciclistas saíssem para pedalar sem celular, para reunião não ser registrada

O delegado de polícia de Rio Brilhante – distante 160 quilômetros de Campo Grande, Guilherme Sarian, determinou nesta terça-feira (30) o arquivamento do procedimento contra o vereador Adão Evandro Pereira Leite (), o Adãozinho, por ter supostamente incitado aglomeração no município.

Consta na decisão policial que, após analisado o contexto das mensagens via WhatsApp enviadas pelo vereador, que ele teria apenas pedido para praticantes de ciclismo que deixassem o celular em casa ao saírem para pedalar, mas que eles haviam combinado de sair em duplas, o que não configura aglomeração. Vale lembrar que o índice de isolamento social tem sido aferido por dados de geolocalização dos aparelhos celulares.

Caso

Nesta segunda-feira (29), a procuradoria-geral do Município procurou a delegacia de polícia para registrar boletim de ocorrência contra o vereador. O caso foi registrado como incitação a crime, pelo fato de Adão estar incitando pessoas a descumprirem decreto municipal que estipulava sobre o isolamento.

Conforme o registro policial, o vereador enviou mensagem em grupo no WhatsApp informando a um grupo de ciclistas que eles poderiam se encontrar, desde que deixassem os celulares em casa, para que a reunião não fosse detectada. Vale ressaltar que o monitora possíveis aglomerações a partir de registros de antenas de telefonia móvel.

De acordo com o relatado pela procuradoria do município na ocorrência, o objetivo era fraudar as metas de isolamento e ajudar o comércio a reabrir previamente. A procuradora afirmou, ainda, que foram feitas lives e publicações no do vereador reafirmando esse posicionamento, sendo que ele já foi autuado por infração sanitária. Em seu perfil na rede social, são várias publicações se posicionando a favor da reabertura do comércio.

Delegado arquiva B.O por incitar aglomeração contra vereador
Mais notícias