Em temporada de dengue, moradores reclamam de ‘lixão’ no Novo Século

O mau cheiro dos animais desovados perturba quem mora na região

Com Daniela Ramos 

O acumulo de lixo em uma área ambiental tem tirado o sono de moradores da região do Parque Novo Século, em Campo Grande. Feito de ‘lixão’ por moradores de outros bairros e até mesmo da vizinhança, quem mora perto reclama de mau cheiro e proliferação do mosquito Aedes aegypti e vários pontos do bairro.

Na tentativa de evitar que o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, Ariane da Silva Marques, de 26 anos, contou ao Jornal Midiamax que foi com o pai até o acumulado de lixo e chegou a virar um vaso sanitário para evitar que os focos se proliferassem. “Meu pai e eu chegamos a fazer uma limpeza, mas sempre jogam eletrodomésticos, móveis e acaba acumulando água”, contou.

Nilda Abigail, de 43 anos, mora na Rua José Pedrossian há três anos e disse que, há um tempo nota que o acumulado de lixo no local vem crescendo a cada dia. Uma das maiores reclamações é a respeito dos bichos mortos que são “desovados” no terreno.

Outra moradora, Maria Luiza Teixeira Mendes, de 50 anos, residente da Rua TV Petronília Inácio Pereira, comentou que os moradores fizeram um abaixo-assinado para que os entulhos e carniças fossem removidas dos quatro cantos do bairro, mas ela se recusou a assinar e explica: “Iriam limpar, mas em seguida iriam voltar a descartar lixo aqui porque iam ver que alguém estaria limpando. O que precisa é uma conscientização ambiental”, afirmou.

A reportagem entrou em contato com a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) sobre as providências quanto a sujeira ao redor do bairro e aguarda contato.

Mais notícias