Crime em cidade com surto de coronavírus atrai curiosos e provoca aglomerações

Moradores da região ignoram medidas preventivas e pandemia. Alguns nem máscaras usavam

O assassinato do secretário municipal de Familiar de Dourados Alceu Junior Silva Bittencourt, de 36 anos, que também era proprietário de uma barbearia.  atraiu muitos curiosos na tarde deste sábado (4), no bairro Izidro Pedroso. A aglomeração nem de longe lembrava que a cidade enfrenta surto de coronavírus.

A chegou a fazer o isolamento do local, para facilitar o trabalho da técnica , principalmente na área mais próxima do salão, mas praticamente toda a quadra onde  Júnior Bittencourt foi assassinado, ficou praticamente tomada por moradores.

Alheios às recomendações de isolamento social estabelecidas por força de decreto municipal diante da situação de pandemia que atinge Dourados, com 2.948 pessoas infectadas pela doença e registro de 32 mortos, alguns presentes nem utilizavam máscaras.

Entre os curiosos de plantão, que em alguns momentos até atrapalhavam o trabalho da polícia e dos jornalistas que faziam a cobertura do crime, estava um senhor de 71 anos. Acompanhado pelo filho, ele relatou à reportagem que não existe lei que obrigue ninguém a ficar em casa.

“Vir aqui é bem melhor que ficar em casa, onde nada acontece. Já fui algumas vez nesse salão e conhecia o dono. Era uma pessoas muito boa”, comentou o aposentado que disse não usar máscaras porque elas não protegem nada.

“É tudo conversa. Se tiver que morrer a gente morre mesmo. Não viu o Junior.? Quando a chega a nossa hora,  máscara nenhuma pode impedir”, disse o idoso incrédulo.

Crime em cidade com surto de coronavírus atrai curiosos e provoca aglomerações
Mais notícias