Coronavírus: Procura dispara e farmácias ficam sem máscaras e álcool em Campo Grande

Produtos já estão em falta em algumas drogarias de Campo Grande

Após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil e a investigação de um caso suspeito em MS, a procura por produtos de higiene disparou em Campo Grande. Em muitas farmácias, os estoques de máscara já acabaram e os de álcool em gel estão no fim.

Em uma farmácia no bairro Chácara Cachoeira, a procura por artigos de higiene disparou nesta quarta-feira (26). A farmacêutica Aline Caldas explica que os consumidores têm buscado não só máscaras e álcool em gel, como também lenços e sabonetes antibacterianos.

Kit com álcool e máscara são a opção para quem quer se proteger do novo coronavírus. // Foto: Marcos Ermínio

“Até ontem tínhamos máscaras, mas acabou. Teve muita procura, de consumidores e profissionais da saúde, como os médicos que compram para os consultórios”, conta.

Em uma outra drogaria, no centro de Campo Grande, a procura também tem sido intensa. As máscaras acabaram há dias e só há frascos grandes de álcool gel. “Temos tido uma alta procura por estes produtos, as pessoas também estão comprando álcool 70”, diz o atendente de farmácia Diego Sorrilha.

Em uma farmácia de rede na avenida Afonso Pena, os estoques de máscara acabaram há dias. Segundo a atendente, todas as drogarias da rede devem estar sem o produto, já que as máscaras estariam em falta com o fornecedor. “A maioria dos clientes está procurando máscaras e o álcool em gel, para a prevenção da doença”, disse.

Também na avenida Afonso Pena, uma outra drogaria de rede também não tem mais máscaras para vender. “Não temos aqui há dias, antes mesmo do primeiro caso de coronavírus. Está em falta no fornecedor, que fornece para outras cidades do Brasil, não está conseguindo suprir a demanda”, disse um funcionário.

Máscaras também estão em falta nas farmácias. // Foto: Marcos Ermínio

Enquanto falta o ‘kit higiene’ nas drogarias da área central, ainda há estoque em farmácias de bairro. Em farmácia do bairro Jardim Campo Nobre, os consumidores ainda não se preocuparam com o coronavírus, ou pelo menos é o que parece. Segundo atendente de farmácia, consumidores ainda não estão buscando estes produtos. Na Vila Bandeirante, a procura também tem sido baixa.

Suspeita de coronavírus em MS

O resultado dos exames do paciente internado no HRMS de Ponta Porã com suspeita de CoVid-19, o novo Coronavírus, sairá nesta quinta-feira (27), informou a SES (Secretaria Estadual de Saúde). Nas redes sociais, o suposto paciente trata a situação como piada, afirma não estar contaminado e que saúde pública ‘não tem preparo’.

Conforme a secretária-adjunta da SES, Crhistinne Maymone, o rapaz informou que viajou para a Tailândia no dia 10 de fevereiro, onde fez escala na Alemanha. Na volta, no dia 24, também fez uma conexão no país europeu. Em solo brasileiro, o rapaz desembarcou em São Paulo e foi recebido por familiares. No retornou para MS, ele não especificou se parou em alguma cidade.

Na segunda-feira (24) o jovem, que tem 24 anos, começou a apresentar sintomas de gripe, como coriza, febre e dor de garganta. Os mesmos sintomas do CoVid 19, o novo Coronavírus.

Primeiro caso confirmado no Brasil

Foi confirmada na manhã de quarta-feira (26), o primeiro caso do novo coronavírus do Brasil. O homem diagnosticado, 61 anos, é de São Paulo e teria voltado da Itália. A amostra  para exames foi enviada para o Instituto Adolfo Lutz, pelo hospital Albert Einstein, em São Paulo. Em entrevista coletiva, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou o caso e informou os estados que possuem suspeitas de incidência.