Coronavírus: Como é a rotina de enfermeiros e militares em tempos de pandemia

MS já tem seis casos confirmados de coronavírus e diversos serviços já foram suspensos para evitar transmissão

Com o avanço do coronavírus em Mato Grosso do Sul, diversas cidades têm cancelado aulas e eventos. O próximo passo é a dispensa de funcionários para que trabalhem em suas casas. Entretanto, nem tudo pode parar. Aqueles que cuidam e protegem a população devem continuar trabalhando, mesmo com risco de infecção.

São seis casos confirmados de coronavírus em Mato Grosso do Sul e os enfermeiros da Capital já enfrentam certo desgaste. Ângelo Macedo é presidente do sindicato de profissionais e explica que há um estresse em lidar com novo vírus. “Há um temor, nós que estamos na linha de frente, no contato direto com o paciente, precisamos contar com todos os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) em abundância, mas isso não acontece”, conta.

Coronavírus: Como é a rotina de enfermeiros e militares em tempos de pandemia
Enfermeiros estão na ‘linha de frente’ do atendimento.  (Foto Ilustrativa: PMCG)

O presidente do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores Públicos em Enfermagem de Campo Grande) ressalta que profissionais temem adoecer. “Nosso medo é que profissionais comecem a adoecer. Existe um temor que o contingente de profissionais reduza de forma acentuada”.

Ângelo ainda recomenda que os pacientes não procurem os serviços de urgência e emergência caso estejam com sintomas leves de gripe. “Este serviço é para quem está com dificuldade em respirar. Sintomas amenos devem ser tratados em postos de saúde”.

Não são só os profissionais de saúde que ficam na ‘linha de frente’. Os profissionais da segurança pública, como bombeiros e policiais, também não param. A tenente-coronel Neidy Nunes Barbosa Centurião, da Comunicação Institucional da PM, explica que à princípio, os policiais militares atuam em escala normal.

Coronavírus: Como é a rotina de enfermeiros e militares em tempos de pandemia
PMs que atuam nas ruas devem tomar cuidados. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Os policiais deverão ter alguns cuidados ao atuar nas ruas. A PM já adquiriu luvas e álcool em gel para as equipes operacionais, ou seja, aquelas que estão nas ruas, fazendo abordagens.

“O policiamento não vai parar, mas pedimos que os cidadãos adotem as medidas preventivas e evitem sair de casa”, diz.

O Corpo de Bombeiros também mantém as atividades 24 horas por dia. Para não serem infectados com o coronavírus, os Bombeiros receberam uma série de recomendações. Ao utilizarem as viaturas, os militares devem fazer a higienização rigorosa nos materiais e utilizar EPIs.

Na hora do atendimento a alguma ocorrência, os bombeiros devem pedir que os curiosos se afastem o máximo possível das vítimas e dos socorristas. Também é recomendado evitar levar acompanhantes na viatura.

Coronavírus: Como é a rotina de enfermeiros e militares em tempos de pandemia
Bombeiros devem tomar cuidado com a higienização da viatura. (Foto: Arquivo/Midiamax)

Os cuidados são para prevenir não só a infecção nos bombeiros, mas também para proteger as famílias dos militares, que ficam em casa. “Com esses cuidados, estamos trabalhando durante esse período, prevenindo a doença aos bombeiros como também aos seus familiares”, explica o sargento André Marti, do Corpo de Bombeiros de Corumbá.

Por fim, Ângelo pede todos tomem cuidado com a transmissão do coronavírus e, se possível, que evitem sair de casa. “É momento de reflexão no sentido de cuidar do outro. Quem pode ficar em casa, que fique”, finaliza.

Coronavírus: Como é a rotina de enfermeiros e militares em tempos de pandemia
Mais notícias