Cotidiano

Condomínio de luxo em Dourados onde houve quebra de quarentena recebe dedetização

Depois do assusto causado pela quebra de quarentena de uma moradora que foi diagnosticada com testagem positiva para o coronavírus, o condomínio de luxo Ecoville I e II, passou na manhã desta segunda-feira (4) . O procedimento faz parte do plano de contingenciamento elaborado pela administração do imóvel. A situação envolvendo a moradora mobilizou a […]

Marcos Morandi Publicado em 04/05/2020, às 12h06 - Atualizado às 12h07

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução - Foto: Reprodução

Depois do assusto causado pela quebra de quarentena de uma moradora que foi diagnosticada com testagem positiva para o coronavírus, o condomínio de luxo Ecoville I e II, passou na manhã desta segunda-feira (4) . O procedimento faz parte do plano de contingenciamento elaborado pela administração do imóvel.

A situação envolvendo a moradora mobilizou a Justiça e causou indignação entre os moradores dos dois condomínios de luxo da cidade e também nas redes sociais douradenses. Diante das determinações do juiz  Emerson Ricardo Fernandes e também da repercussão que o caso gerou, o Comitê mapeou 30 pessoas e também  está fazendo o monitoramento da área.

07

O diretor-presidente do Ecoville Dourados, Marcelo Cunha, afirmou que mesmo antes do ocorrido já tomava precauções, com base em um plano de contingenciamento desenvolvido para proporcionar medidas preventivas. Entra as ações, estão o fechamento de academia, das áreas de lazer e dos espaços de alimentação coletivos.

“Já tínhamos um cuidado, adotamos medidas que vêm sendo realizadas desde 14 de março, antes mesmo do incidente. Depois que o decreto municipal foi afrouxado, ficou difícil para a administração manter alguns espaços coletivos fechados, pois tínhamos a autorização de abrir a academia, por exemplo. Porém, agora, diante da nova situação, eles serão fechados. Na segunda-feira, inclusive, o condomínio passará por uma nova sanitização”, destacou o diretor-presidente.

Entenda o caso

A decisão do juiz Emerson Ricardo Fernandes atende o pedido do promotor Eteócles Brito Mendonça Dias Junior, da 10ª  Promotoria do MPE (Ministério Público Estadual de MS) contra o casal. “Ainda sobre este fato, lamentáveis são diversos registros diários de entrada e saída dos veículos no condomínio em que os requeridos residem”, fundamenta o magistrado.

Jornal Midiamax