Cotidiano

Comerciantes criam alternativas e ainda acreditam em boas vendas para Dia das Mães

Com as medidas adotadas para prevenção ao coronavírus, o comércio de Campo Grande passou a enfrentar uma nova dificuldade, já que parte da população acaba ficando com medo de frequentar as lojas. Com a proximidade do Dia das Mães, a solução dos comerciantes foi melhorar a propaganda e as promoções, o que acabou trazendo bons […]

Renata Portela Publicado em 07/05/2020, às 10h32 - Atualizado às 14h21

Kerlla reduziu os preços para o Dia das Mães (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)
Kerlla reduziu os preços para o Dia das Mães (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax) - Kerlla reduziu os preços para o Dia das Mães (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

Com as medidas adotadas para prevenção ao coronavírus, o comércio de Campo Grande passou a enfrentar uma nova dificuldade, já que parte da população acaba ficando com medo de frequentar as lojas. Com a proximidade do Dia das Mães, a solução dos comerciantes foi melhorar a propaganda e as promoções, o que acabou trazendo bons resultados.

Nesta manhã gelada de quinta-feira (7), a movimentação na região central da cidade ainda era pouca, mas conforme as horas foram passando, os clientes foram chegando até as lojas. Com o Dia das Mães se aproximando, neste próximo domingo (10), a expectativa comum seria de grande movimentação e vendas nos dias que antecedem a data comemorativa.

Comerciantes criam alternativas e ainda acreditam em boas vendas para Dia das Mães
Meire Camargo (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

Em uma loja de vestuário na 14 de Julho, Meire Camargo de 37 anos relatou ao Midiamax que mesmo com a pandemia, a expectativa de vendas é positiva para este ano. “Estamos fazendo de tudo para chegarmos ao patamar do ano passado”, relatou. Apesar da movimentação tranquila na loja, ela afirma que tem feito boas vendas.

Para isso, várias peças foram colocadas em promoção, inclusive roupas de frio, e o parcelamento no pagamento também foi aumentado. Para crediário da loja, o cliente pode parcelar agora em 6 vezes, não só em 5 como antes, e no cartão de crédito as parcelas aumentaram de 4 para 5. A loja Magazine Campo Grande ainda começou a trabalhar com delivery de roupas.

Comerciantes criam alternativas e ainda acreditam em boas vendas para Dia das Mães
(Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

A lojista conta que o cliente liga, informa os tamanhos e o tipo de roupa que quer e é feita uma triagem com a faixa de preço também escolhida pelo cliente. Com as informações, as peças são levadas até a casa do comprador. Para Meire, a expectativa é de faturar até R$ 150 mil com o dia das mães.

Kerlla Marangon, de 43 anos, que tem uma franquia da Natura, contou que para driblar a crise há uma semana começou a avisar os clientes pelas redes sociais para que eles não deixassem para a última hora a compra dos presentes. Ela percebeu que com a preocupação por causa do coronavírus, muitas pessoas acabaram esquecendo das datas comemorativas.

Para aumentar as vendas, ela investiu em melhorias nos preços dos produtos. Os kits, por exemplo, que poderiam custar R$ 79, foram ajustados para caberem no bolso dos clientes e podem sair a R$ 39. Com boas expectativas de venda, a lojista também é positiva “Isso vai passar”, afirmou ao Midiamax.

Comerciantes criam alternativas e ainda acreditam em boas vendas para Dia das Mães
Jéssica Andrade (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

Para a gerente de uma loja de bijuterias e acessórios Jéssica Andrade, de 26 anos, este Dia das Mães também deve ser de boas vendas, mesmo com as medidas de isolamento e distanciamento social. “Não está sendo o esperado, mas as pessoas estão comprando”, contou. Segundo ela, as pessoas acabam deixando para a última hora, assim como aconteceu nos anos anteriores.

Comerciantes criam alternativas e ainda acreditam em boas vendas para Dia das Mães
(Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

A comerciante também investiu em estratégias de venda, montando kits a partir de R$ 20. Ela acredita que, na sexta e sábado, dois dias que antecedem a data comemorativa, pode chegar a vender R$ 10 mil por dia. Em anos anteriores, as vendas chegaram a R$ 15 mil ao dia.

Conforme decisão da Prefeitura de Campo Grande, até segunda-feira (11) o comércio pode funcionar das 7h30 às 22h.

Jornal Midiamax