Com um caso confirmado de coronavírus, Ponta Porã libera comércio

Toque de recolher ficou mantido das 20h às 4h

A Prefeitura de Ponta Porã, distante a 316 quilômetros de Campo Grande, decidiu liberar o funcionamento do comércio e flexibilizar algumas regras do decreto que previa situação de emergência na cidade por conta do novo coronavírus, o Covid-19. As alterações foram publicadas em edição extra do Diário Oficial do município.

Na atualização do decreto, o prefeito Hélio Peluffo Filho permite o funcionamento do comércio desde que sigam medidas de controle a contenção de riscos e disposições já presentes no decreto que vigora contra o combate ao coronavírus.

O funcionamento de restaurantes, conveniências, lanchonetes estarão podendo funcionar por meio de entregas em domicílio ou retirada no local, permitindo o consumo próprio desde que cumpra algumas regras como distanciamento de pelo menos 2 metros entre as mesas.

Outro item no decreto é que os salões de beleza, centro de estética, barbearias e outros estarão liberados para atendimento por meio de agendamento prévio, assim como os escritórios de profissionais que não desempenham atividades da saúde. Os cartórios extrajudiciais deverão priorizar o teletrabalho.

As obras na área da construção civil estarão sendo limitadas para que apenas 10 trabalhadores estejam presentes e caso não seja respeitado a determinação, poderão ter o alvará cassado. A prefeitura manteve o toque de recolher na cidade, que vai das 20h às 4h.

Vale ressaltar que a cidade de Ponta Porã conta um caso de coronavírus confirmado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Além disso, outros dois casos estão sob investigação da pasta da saúde para verificar quais as condições do paciente.

Com um caso confirmado de coronavírus, Ponta Porã libera comércio
Mais notícias