Com técnicos afastados por coronavírus, postos têm alta procura por vacina e dificuldade em atender

Posto do Maria Aparecida Pedrossian não teve vacinação e pacientes foram orientados a procurar outras unidades próximas

A vacinação contra gripe foi liberada para toda população a partir desta quarta-feira (8) e nem mesmo a garoa ou o friozinho espantaram os pacientes nas unidades de saúde de Campo Grande. Até mesmo famílias inteiras procuraram as unidades para vacinar quem não foi contemplado nas fases da campanha e a espera chegou a 40 minutos na fila. Um dos postos de saúde fechou a sala de vacina após técnicos de terem sido contaminados com coronavírus. Assim, pacientes tiveram que ser encaminhados para outras unidades, que lotaram – como o do Tiradentes.

Com técnicos afastados por coronavírus, postos têm alta procura por vacina e dificuldade em atender
Arnaldo explica que posto do Tiradentes recebeu 500 doses. (Foto: Henrique Arakaki)

O CRS (Centro Regional de Saúde) do Tiradentes recebeu 500 doses e a vacinação começou por volta das 7h15. O gerente da unidade, Ângelo Delgrande explica que os pacientes são chamados em grupos de 20 pessoas, para que não fiquem na rua e também é uma maneira de evitar aglomerações. 

A reportagem esteve no local nesta manhã e a fila contava com cerca de 200 pessoas. Patrícia de Lima Oliveira, de 41 anos, resolveu se imunizar contra a gripe e ainda levou os três filhos para vacinar. 

Iria Fátima Lescano, de 38 anos, é técnica de e conta que não conseguiu se vacinar antes porque ainda não tem o cadastro no (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul). Por isso, precisou esperar a vacina ser liberada para todos. 

Com técnicos afastados por coronavírus, postos têm alta procura por vacina e dificuldade em atender
Pais aproveitam vacinação liberada para imunizar os filhos. (Foto: Henrique Arakaki)

Assim como outros pacientes, ela foi à unidade do Tiradentes porque o posto do Pedrossian estava sem técnicos de para fazer a aplicação da vacina. Os funcionários foram afastados após serem infectados com o coronavírus. Os pacientes da unidade são orientados a procurar outro posto de saúde.

Enquanto a unidade do Tiradentes está cheia nesta manhã, o movimento foi tranquilo na UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) Arnaldo Estevão de Figueiredo. A professora Franciele Ferreira já tinha sido imunizada, mas foi à unidade para levar o filho para vacinar. O atendimento foi rápido e havia poucas pessoas na fila. 

Unidade sem vacinação

A UBSF Maria Aparecida Pedrossian não realiza vacinação contra a gripe nesta quarta-feira (8). Conforme citou a reportagem, os técnicos de do local foram afastados após terem sido contaminados pelo coronavírus. 

A (Secretaria Municipal de Saúde) explica que a sala de vacinação foi fechada, mas os pacientes são encaminhados para outras unidades, como a Arnaldo Estevão de Figueiredo e Cristo Redentor.

Rosângela Ferreira, de 46 anos, esteve na unidade, mas como não conseguiu se vacinar, procurou o posto do Tiradentes. “Gastei com porque está chovendo e a unidade perto de casa não estava atendendo”.

Com técnicos afastados por coronavírus, postos têm alta procura por vacina e dificuldade em atender
Mais notícias