Novas árvores da 14 de Julho não brotam e serão trocadas neste mês

O paisagismo é acompanhado pela equipe do Reviva Centro

O paisagismo da Rua 14 de Julho vive dois momentos completamente distintos e tudo isso, a poucos metros dos plantios das árvores que foram feitos no mês de setembro do ano passado. Em vários pontos da rua, ipês e jacarandás, que foram colocados para criarem sombra e refrescar quem passa pela avenida, não ‘pegaram’ e deverão ser substituídos.

Quem passa pela avenida percebe que em alguns pontos, os ipês que seriam responsáveis por formar pequenas sombras aos bancos em frente ao comércio, estão secos e quebradiços sem qualquer sinal de folhagem.

O quarteirão mais florido ainda segue sendo entre a Afonso Pena e a própria 14 de Julho e até a rua Marechal Rondon. Porém, no perímetro envolvendo as ruas 15 de novembro e 14 de Julho e Marechal Rondon até a avenida Mato Grosso, o cenário figura flores e galhos quase sem vida.

Área riscada em verde é o local mais florido da 14 de Julho. (Foto: Reprodução, Google Maps)

“Em frente ao meu comércio o ipê plantado nunca deu folhas, ele parece que não pegou mesmo. Vários vizinhos reclamaram para equipes da empreiteira para saber se haverá a troca de outros que também estão assim, mas ainda não tivemos resposta. As árvores vão oferecer sombra e isso vai ser bom para os consumidores que andam pela 14”, disse uma comerciante, que preferiu não se identificar.

A Prefeitura de Campo Grande esclareceu em contato com a reportagem que os transplantes de árvores que não tiveram brotação serão substituídos neste mês sem qualquer custo. “O paisagismo é acompanhado de perto pela equipe do Reviva Centro”, informou o município.

Além disso, a Prefeitura disse que por ser um “procedimento mais complexo de árvores adultas, justamente para garantir a sombra mais rápido, é comum alguns exemplares não sobreviverem, por isso, no projeto já foram previstas as substituições”.

Mais notícias