Cotidiano

Com novo centro de produção, prefeitura vai confeccionar cerca de 12 mil máscaras por dia

Foi inaugurado hoje (6) o Centro Emergencial de Produção de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), no bairro Mario Covas, em Campo Grande, por meio da Sedesc (Secretaria de Desenvolvimento Social). O objetivo é confeccionar cerca de 12 mil máscaras de tecido por dia para serem doadas na Capital durante este período de pandemia de coronavírus. […]

Karina Campos Publicado em 06/05/2020, às 15h58 - Atualizado em 07/05/2020, às 07h48

 (Foto: Dayene Paz)
(Foto: Dayene Paz) - (Foto: Dayene Paz)

Foi inaugurado hoje (6) o Centro Emergencial de Produção de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), no bairro Mario Covas, em Campo Grande, por meio da Sedesc (Secretaria de Desenvolvimento Social). O objetivo é confeccionar cerca de 12 mil máscaras de tecido por dia para serem doadas na Capital durante este período de pandemia de coronavírus.

Conforme a primeira-dama e idealizadora do projeto, Tatiana Trad, os trabalhos na Incubadora Municipal serão desenvolvidos durante três meses, produzindo mais de 600 mil máscaras durante o período. A campanha conta com parceria da Funsat (Fundação Social do Trabalho), Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e SAS (Secretaria de Assistência Social). “Estamos gerando renda e mudando a realidade da saúde”, disse Trad.

Os EPIs serão destinados as secretarias municipais e também poderão ser doadas em locais de grande movimentação como terminais de ônibus e Centro da Capital.

Com novo centro de produção, prefeitura vai confeccionar cerca de 12 mil máscaras por dia
Confecção necessita de doação de tecidos. (Foto: Dayene Paz)

A estrutura do local foi desenvolvida conforme as orientações de prevenção com as trabalhadoras; mesas de costuras com distanciamento, uso de EPIs, e ventilação. A maior parte das costureiras selecionadas participaram de cursos de capacitação da Funsat ou participa de projetos sociais. É o caso da costureira Marlene Sebastião Leal, 48 anos. Ela participa de um projeto de costura de EPIs para construção civil na Aldeia Água Bonita. “Fiz curso de costureira há 3 anos. É uma satisfação ajudar. Continuarei ajudando a construção também para ter cuidado necessário enquanto trabalhando”.

A confecção conta com 69 costureiras e 4 técnicos selecionados com salários de R$ 1,040, vale transporte e cesta básica. Serão dois turnos de meio período na escala dos selecionados. Ledir Pereira da Silva,40, estava há 4 anos desempregada e sua principal renda sempre foi a costura. Ela conta que ficou grata por participar do projeto, voltar as atividades e ajudar a população. “Com o resto de tempo livre consigo fazer outras coisas para ter outra renda”.

A primeira-dama ressalta que projeto necessita de doações de tecido e produtos para confecção dos EPIs. Para doar, ligue no telefone da Sedesc (67) 3348-3510.

Jornal Midiamax