Idosa com coronavírus aguarda vaga de leito de UTI na Unimed; hospital nega lotação

Paciente esteve na unidade por 3 vezes com febre alta e falta de ar.

Uma idosa de 78 anos está aguardando leito de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), no Hospital da Unimed de Campo Grande. Diagnosticada com , o novo coronavírus, paciente esteve no local por 4 dias e quadro piorou nesta sexta-feira (27). O setor registrou lotação no dia anterior, mas nega falta de leitos.

Conforme o neto, que preferiu não se identificar, a avó, que é diabética e faz parte do grupo de risco, foi até a unidade com os sintomas onde recebeu a confirmação do teste. Durante três dias, os médicos pediram para ela voltar e tratar a doença.

“Ela foi e eles disseram que não tinha necessidade de internação, mas ontem e hoje ela teve febre alta. Voltamos para o hospital e eles disseram que ela precisa ficar internada, mas não tem vagas e nem previsão”, disse.

O pai do rapaz está internado na UTI entubado. A avó é a oitava paciente na fila por internação no setor.

No início do mês, o hospital emitiu alerta para o aumento de casos e tempo maior na espera por atendimento. De acordo com o boletim de status de ocupação geral de leitos desta quinta-feira (26), nas três unidades de UTI especialidade em tratamento de , os 30 leitos estão ocupados.

Em nota, o hospital informou que Grande não reconhece a informação citada e ressalta que não há falta de leitos de UTI em sua unidade hospitalar. No entanto, não descarta a abertura de novos leitos de UTI, caso seja necessário para atender à demanda de seus beneficiários.

“A cooperativa médica segue fazendo um alerta à população para que mantenha o distanciamento social, a higiene adequada das mãos e o uso de máscaras, medidas fundamentais de cuidado e prevenção amplamente divulgadas pela singular desde o início da pandemia da ”, finaliza o comunicado.

Material atualizado com acréscimo de informação às 14h17.

Idosa com coronavírus aguarda vaga de leito de UTI na Unimed; hospital nega lotação
Mais notícias